Connect with us

Mundo

Moçambique lança maior projecto de restauração de mangais de África

Published

on

A República de Moçambique procedeu o lançamento do maior projecto de restauração dos mangais de África, através do qual pretende plantar 100 milhões de árvores da espécie em uma área total de 185 mil hectares. Para a iniciativa, aquele país do índico conta com a parceria da Blue Forest.

Sofala e Zambezia são as províncias onde será implementado o projecto, por serem consideradas sensíveis à biodiversidade e vai permitir recompensar anualmente 200 mil toneladas de CO2.

Segundo a comunicado de imprensa, chegado à redação do Correio da Kianda, espera-se que sejam plantadas entre 50 e 100 milhões de árvores como parte desta parceria a longo prazo, compensando, desta forma cerca de 200 mil toneladas de emissões de CO2 por ano, o equivalente a retirar 50 mil carros da estrada.
O Ministério do Mar, Águas Interiores e Pescas de Moçambique (MIMAIP) em parceria com a Blue Forest e especialistas em reflorestamento de mangais deverão utilizar imagens de satélite de alta resolução, tecnologia LiDAR e dados de teledetecção para identificar “hotspots” chave onde a necessidade de restauração é maior.

Aquele departamento ministerial de Moçambique fará ainda recursos a algoritmos de Inteligência Artificial (IA) para decifrar os dados de satélite e medição de campo para personalizar as actividades de reflorestamento de uma forma precisa, eficiente e transparente.

Os trabalhos de reflorestamento serão levados a cabo em colaboração com vários intervenientes que trabalham na restauração de mangais em Moçambique. Instituições públicas como a Direcção Nacional de Florestas (DINAF) e o Fundo Nacional para o Desenvolvimento Sustentável (FNDS), bem como universidades e ONGs, estarão envolvidos nesta campanha.

O projecto será financiado através de créditos de carbono que serão gerados através das actividades de reflorestamento e conservação durante o período de 30 anos desta parceria. As receitas serão partilhadas entre as partes interessadas locais e nacionais, de acordo com as directrizes estabelecidas pelo FNDS.

O Secretario Permanente do MIMAIP, Xavier Munjovo, mostrou-se rigozijado com a parceria ora firmada, ao afirmar que “Moçambique tem mais de 300 mil hectares de mangais ao longo da sua costa, que é uma das maiores áreas de mangais em África. Estamos encantados com a nossa parceria com a Blue Forest e com a introdução de tecnologia inovadora na forma como mapeamos e restauramos as nossas florestas de mangais vitais para as gerações vindouras”.

Já o Fundador e CEO da Blue Forest, Vahid Fotuhi, considerou Moçambique como “um país extremamente estratégico quando se trata de florestas de mangais”.

“Estamos entusiasmados com a parceria com o MIMAIP e com o trabalho em coordenação com todas as instituições públicas e privadas nacionais e provinciais, bem como com as comunidades locais em Sofala e Zambézia neste projecto emblemático. Dezenas de milhares de pessoas e vida marinha sem fim beneficiarão deste projecto; não podíamos estar mais felizes”, concluiu.

Sobre a Blue Forest:

Blue Forest é um promotor de projectos centrados na restauração de mangais florestais. A empresa tem como objectivo produzir um impacto positivo e duradouro para as comunidades locais através da implementação de projectos de restauração de manguezais florestais.

Estes projectos de “carbono azul” são financiados através de mecanismos de crédito de carbono verificados. A Blue Forest está actualmente a desenvolver projectos de mangais em sete países dos Emirados Árabes Unidos, África e Ásia.

Colunistas