Connect with us

Justiça

Ministério público com imparcialidade no combate a corrupção na província do cuanza sul

Published

on

Os juizes do tribunal provincial do Cuanza Sul, “desmontaram” na última quarta-feira, as armadilhas ”  montadas pela Procuradoria-Geral da República (PGR) na província , no processo que envolvia o ex-secretário-geral do Governo local, Teixeira Clemente, Adelino Mangonga, os empresários Ismael, Baveca, e Fernando de Almeida, alegando atropelos durante o processo da instrução preparatória.

O juiz Sebastiao, lamentou os 6 meses de prisão preventiva sofrida dos dois empresários que, segundo fontes, foram meros instrumentos de capricho de terceiros, que em nome do combate a corrupção, tentaram atingir objectivos pessoais.

A seção de julgamento que aconteceu na quarta-feira, 21 de Agosto, na sala do tribunal provincial, terminou com o pedido de absolvição dos crime de peculato, falsificação de documentos e associação criminosa, aos Réus, Adelino Mangonga, Manuel de Almeida e os empresários Ismael Justino , Danilson Baveca, e Fernando de Almeida.

Sobre acusação ao secretário-geral do Governo local, Teixeira Clemente, está por se provar as alegações do minisstério público.

A fonte que temos vindo a citar , diz que até a data, não existem provas materiais de que o mesmo tenha recebido o valor sobre o qual é acusado.

Vicente pongolola, Zinho e Albano pedro foram os advogados, que no final ressaltaram a nobreza e capacidade de interagir do juiz Sebastião , e o facto de ter questionado todos os Réus e declarantes com a mesma peciência de questões colocadas .

Um dos advogados de defesa ouvido pelo Correio da Kianda, recomenda ponderação nesta nova fase do combate a corrupção e que os profissionais devem ser os primeiros a garantir o estado de direito e democrático

Recorde-se que a leitura da sentença está marcada para o dia 11 de Setembro, dia em que se assinala a mais um ano da queda das torres gêmeas, mas que para este caso foi um claro “KO” do Juiz sobre a PGR ao não embarcar nas injustiças e lacunas existentes no Processo.

Continue Reading
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *