Connect with us

Politica

Ministério da Educação e UNESCO lançam projecto de melhoria da qualidade de ensino através da transformação curricular em Angola

Published

on

O projecto é lançado nesta sexta-feira, 6 de Maio, em Luanda, numa cerimonia que conta com a presença do  Ministro de Estado e da Coordenação Económica, Manuel José Nunes Júnior, que preside à sessão em representação do Presidente da República, João Manuel Gonçalves Lourenço.

Trata-se de um projecto que visa apoiar a transformação curricular em Angola e reforçar a cooperação com a Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), o Bureau Internacional de Educação da UNESCO (BIE-UNESCO) e o Ministério da Educação de Angola.

Em mesa-redonda, peritos internacionais, quadros do Ministério da Educação, empresários e parceiros, vão em conjunto analisar a implementação da estratégia de médio prazo do BIE-UNESCO 2022-2025 e angariação de fundos para melhoria da qualidade do ensino, através da transformação curricular em Angola.

Constam dos objectivos do evento, a sensibilização da sociedade para as actividades do BIE-UNESCO e a mobilização de recursos para melhoria da qualidade da educação através da transformação curricular em Angola, bem como a assinatura de um acordo de cooperação entre o BIE-UNESCO e o Ministério da Educação de Angola.

A ministra da Educação, Luísa Maria Alves Grilo, disse, à margem dos preparativos do evento, que Angola está a entrar num processo de revisão do seu currículo para dar maior coerência e relevância ao seu sistema educação, com objectivo de melhorar o resultado das aprendizagens. No contexto da COVID-19, e do impacto das alterações climáticas nas sociedades, Angola enfrenta, entre outras questões, o desafio de adaptar o seu currículo, de forma a tornar o sistema de educação mais resiliente e melhor preparado para o futuro. Para propiciar uma mudança semelhante, a mobilização de recursos é fundamental. O Fórum do dia 6 de Maio vai contribuir para a efectivação do apoio técnico do BIE-UNESCO em Angola.

As competências técnicas e a base de conhecimentos alargada do BIE-UNESCO, juntamente com o apoio dos doadores, serão, segundo a governante, fundamentais para a eficaz mudança curricular no país.

Já o director do BIE-UNESCO, Yao Ydo referiu que a parceria para a realização do evento surge do convite, feito por Angola, para ajudar neste processo, tendo para isso, O BIE-UNESCO desenvolvido uma Estratégia a Médio Prazo para 2022-2025, constituída por acções estratégicas necessárias para apoiar na capacitação nacional dos actores.

Os actores que se vão beneficiar das acções de capacitação, de acordo com aquele responsável, vão operar na transformação do currículo para a melhoria da qualidade da Educação em Angola e noutros países lusófonos em África. “O BIE-UNESCO está empenhada em prestar aconselhamento político, apoio técnico e capacitação para acompanhar Angola no reforço das suas capacidades de desenvolvimento curricular”, considerou.

O Fórum é considerado oportunidade única para fomentar a cooperação e a expansão das iniciativas do BIE-UNESCO noutros Estados Membros da CPLP, Tendo conquistado a presidência da comunidade linguística lusófona até 2023.

Angola está numa posição ideal para liderar este esforço em toda a Comunidade dos países lusófonos. A eleição de Aldo Sambo, à membro do Conselho de Administração da UNESCO-IBE, é vista como indicadora de vias promissoras de cooperação institucional entre o BIE-UNESCO e o Governo de Angola.

Além do Ministro de Estado e da Coordenação economica, que vai proferir o discurso de abertura, o evento vai contar com as participações da Ministra da Educação de Angola, Luisa Maria Alves Grilo e de altos funcionários do BIE-UNESCO, de membros do Executivo angolano, do corpo diplomático, empresários, instituições académicas e sociedade civil.