Connect with us

Politica

Ministério da Cultura consternado com a morte de Teta Lágrimas

António Sacuvaia

Published

on

O Ministério da Cultura, Turismo e Ambiente manifestou-se, hoje, em Luanda, consternado com o falecimento, nesta terça-feira, 24, por doença, do cantor e compositor Abel Lágrimas da Conceição Santos Teta.

Numa nota de imprensa daquela instituição, chegada a instantes à redacção do Correio da Kianda, refere ter sido com “profunda dor e consternação que o referido Ministério tomou conhecimento do passamento físico do músico Teta Lágrimas”.

Oriundo de uma família de artistas, lê-se na mensagem de condolências, com destaque para o seu falecido irmão Teta Lando, Teta Lágrimas notabilizou-se com canções “Essa preta me mata”, “Amor em crise”, “Luanda já foste linda” e “Amizade colorida”, um conjunto de temas de sucesso que fizeram época e marcaram importantes momentos da memória colectiva musical dos angolanos.

Teta Lágrimas começou nos “Kutonocas”, em Luanda. Viveu no Uíge, passou pela República Democrática do Congo e Portugal. A originalidade da sua obra marca, sublinha a nota do Ministério da Cultura Turismo e Ambiente, decerto, um dos momentos mais importantes da História da Música Popular Angolana.

“Nesta hora de dor e de tristeza, conclui, em seu nome próprio e de todos funcionários e colaboradores, o Ministério da Cultura Turismo e Ambiente, apresenta a família enlutada os seus mais profundos sentimentos de pesar”, reforça a nota.

Continue Reading
Advertisement
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Advertisement

Colunistas

Ladislau Neves Francisco
Ladislau Neves Francisco (23)

Politólogo - Comunicólogo - Msc. Finanças

Olivio N'kilumbo
Olivio N'kilumbo (21)

Politólogo

Vasco da Gama
Vasco da Gama (80)

Jornalista

Walter Ferreira
Walter Ferreira (15)

Coordenador da Plataforma Juvenil para a Cidadania

© 2017 - 2020 Todos os direitos reservados a Correio Kianda. | Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização.
Ficha Técnica - Estatuto Editorial RGPD