Connect with us

Politica

“Miau” forçado a pedir demissão e abandonar liderança da CASA-CE

Published

on

O vice-presidente para Área Política e Eleitoral da CASA-CE, Manuel Fernandes, anunciou que os partidos que formam a coligação, que remeteram uma “carta” ao actual presidente André Mendes de Carvalho (Miau) para demitir-se, irão se pronunciar nos próximos dias sobre os motivos do pedido de demissão do cargo de presidente desta formação política.

Em declaração, nesta terça-feira, 02, ao Correio da Kianda, Manuel Fernandes garante pronunciarem-se, em conferência de imprensa, para esclarecimentos sobre a gestão de André Mendes de Carvalho (Miau), que na tarde desta terça-feira, 2, recebeu uma carta de um grupo de líderes de partidos que constituem a CASA-CE, para reflectir e colocar o cargo à deposição.

O político sublinha que não “estão a expulsar, mas pedir que o presidente saia mesmo sozinho”.

André Mendes de Carvalho (Miau) foi eleito para o cargo de presidente da CASA-CE no início de 2019, em substituição a Abel Epalanga Chivukuvu, expulso da presidência por alegadamente “quebra de confiança”.

Manuel Fernandes avançou que o actual presidente da CASA-CE já teve contacto com a carta e  respondeu de imediato a solicitação dos partidos coligados. O também deputado fez saber que dentro de dois dias André Miau irá fazer um pronunciamento público sobre a solicitação de pedido de demissão.

A CASA-CE foi criada a 3 de Abril de 2012, em Angola, quatro meses antes das eleições gerais programadas para Agosto de 2012, e uni as seguintes agremiações partidárias: Partido de Aliança Livre de Maioria Angolana (PALMA), Partido de Apoio para Democracia e Desenvolvimento de Angola, Aliança Patriótica (PADDA-AP), Partido Pacífico Angolano (PPA) e Partido Nacional de Salvação de Angola (PNSA), PDP-ANA e Bloco Democrático (BD).