Connect with us

Mundo

Manifestações contra resultados das autárquicas arrancam hoje em Moçambique

Published

on

A Resistência Nacional Moçambicana (Renamo) inicia esta terça-feira, 17, manifestações pacíficas diárias em todo o país, convocadas pelo presidente do maior partido da oposição, Ossufo Momade, contra o que afirma ter sido a “fraude” nas eleições autárquicas de 11 de Outubro.

“O que eu quero é uma manifestação nacional, não é a guerra”, disse Ossufo Momade, após reunião extraordinária alargada da Comissão Política Nacional da Renamo, em que o partido decidiu não reconhecer os resultados intermédios das eleições autárquicas anunciados pelos órgãos eleitorais.

As comissões distritais e províncias de eleições moçambicanas divulgaram nos últimos dias resultados do apuramento intermédio da votação em pelo menos 46 municípios, sendo que a Frelimo, no poder no país, venceu em 45 – a generalidade fortemente contestada pelos partidos da oposição e observadores da sociedade civil – e o MDM manteve a Beira, província de Sofala.

A Frelimo foi anunciada vencedora em Maputo, a capital, em Matola, a cidade mais populosa do país, mas também em Nampula, a ‘capital’ do Norte, e em Quelimane, capital da província da Zambézia, estas duas lideradas até agora pela Renamo.

A Renamo quer exigir à CNE “um esclarecimento público sobre os vários ilícitos cometidos perante o seu olhar impávido e sereno” e que pretendem “responsabilizar os órgãos eleitorais pela má gestão e condução do processo eleitoral”, além de “requerer uma auditoria sobre a proveniência e a autoria dos boletins paralelos usados e vencimento das urnas”, defende, Ossufo Momade.

Colunistas