Connect with us

África

Mali, Burkina Faso e Níger criam aliança para Defesa e protecção mútua

Published

on

As juntas militares no Mali, Burkina Faso e Níger assinaram este sábado, 16, um acordo para uma aliança de Defesa, de acordo som as delegações ministeriais dos três países, reunidas em Bamako, capital do Mali.

O acordo assinado entre os regimes militares que tomaram o poder nestes três países prevê criar uma nova entidade, a Aliança dos Estados do Sahel, com o objectivo de organizar sistemas de Defesa colectiva e assistência mútua.

Mali, Burkina Faso e Níger comprometem-se assim a utilizar as forças armadas “em caso de atentado à soberania e à integridade do seu território”.

O acordo prevê, tal como consta no 6° artigo que “qualquer violação da soberania e da integridade do território de uma ou mais partes contratantes será considerada uma agressão contra as outras partes e implicará um dever de assistência e socorro de todas as partes, individual ou colectivamente, incluindo o uso da força armada para restabelecer e garantir a segurança no espaço coberto pela Aliança”.

O acordo de cooperação prevê ainda a cooperação na luta contra o terrorismo, a criminalidade e as rebeliões armadas.

Desde o golpe de Estado de 26 de Julho no Níger, a Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO) mantém uma posição constante: as autoridades militares devem “restaurar a ordem constitucional imediatamente” libertando o presidente deposto Mohamed Bazoum e reinstalando-o nas suas funções.

A organização da África Ocidental ameaçou repetidamente com uma intervenção armada e impôs sanções económicas ao Níger.

O Burkina Faso e o Mali vizinhos consideram que uma operação militar contra um dos seus países seria uma “agressão ilegal e sem sentido” e prometeram uma “resposta imediata” a qualquer agressão.

Com agências internacionais