Connect with us

Mundo

Mais de mil mortos após ataque de Israel ao enclave palestino de Gaza

Published

on

Israel atacou o enclave palestino de Gaza neste domingo, 08, matando centenas de pessoas em retaliação ao ataque do grupo islâmico Hamas matou 700 israelenses e sequestrou dezenas de outros.

A violência dos combatentes do Hamas nas cidades de Israel, no sábado, foi a incursão mais mortal desde os ataques do Egipto e da Síria na guerra do Yom Kippur, há 50 anos, e ameaçou desencadear outra conflagração no conflito sem fim.

Em resposta, os ataques aéreos israelitas atingiram blocos habitacionais, túneis, uma mesquita e casas de responsáveis ​​do Hamas em Gaza, matando mais de 400 pessoas, incluindo 20 crianças, em conformidade com o voto de “poderosa vingança” do primeiro-ministro Benjamin Netanyahu.

“O preço que a Faixa de Gaza pagará será muito pesado e mudará a realidade durante gerações”, disse o ministro da Defesa, Yoav Gallant, na cidade de Ofakim, que sofreu baixas e fez reféns.

Além de Gaza bloqueada, as forças israelenses e a milícia libanesa Hezbollah, apoiada pelo Irã, trocaram tiros de artilharia e foguetes, enquanto no Egipto dois turistas israelenses foram mortos a tiros junto com um guia.

Os apelos à contenção vieram de todo o mundo, embora as nações ocidentais tenham apoiado Israel, enquanto o Irão, o Hezbollah e os manifestantes em vários países do Médio Oriente elogiaram o Hamas.

No Sul de Israel, no domingo, homens armados do Hamas ainda lutavam contra as forças de segurança israelenses mais de 24 horas após o ataque surpresa e multifacetado de barragens de foguetes e bandos de homens armados que invadiram bases militares e invadiram cidades fronteiriças.

Com agências internacionais