Connect with us

Crime

Mais de cem certificados falsos foram detectados na Huíla

Published

on

Cento e 31 certificados falsos foram detectados na província da Huíla pelo Gabinete Provincial da Educação, no ambito do concurso público de promoção de carreiras, decorrido de Maio de 2021 até à primeira semana do mês em curso.

Trata-se de 16 mil 708 docentes inscritos em três fases, dos quais 16 mil 273 admitidos nos 14 municípios da província da Huíla.

Na primeira fase, o Gabinete Provincial da Educação detectou 60 certificados falsos, dos 11 mil 159 professores admitidos, na segunda, 61 dos mil 380, e na terceira, 10 dos três mil 734, envolvendo documentos de ensino médio, de licenciatura e de mestrado.

Os 435 não foram admitidos por alguma pendência, por não terem conseguido entregar o documento a tempo, alguns por estarem com problemas do Instituto Nacional de Avaliação, Acreditação e Reconhecimento de Estudos do Ensino Superior (INAAREES).

O porta-voz da Educação na Huíla, Benício Puna, disse à ANGOP hoje, sexta-feira, no Lubango, que está a ser elaborado um documento para ser entregue à Procuradoria-geral da República (PGR), para a responsabilização civil e criminal dos autores dos certificados falsos.

“Os protagonistas terão de indicar aonde conseguiram obter o carimbo, a assinaturas e o modelo dos respectivos certificados falsos junto do tribunal de comarca local, porque só assim é que se poderá desencorajar tal prática”, afirmou.

O sector da Educação na Huíla tem 23 mil 057 professores cadastrados no Sistema de Gestão Financeira do Estado (SIGFE), para mais de 700 mil alunos, desde da iniciação à 13ª classe.

Com Angop