Connect with us

Economia

Mais de 600 postos de trabalho serão criados com reabilitação do Hotel Panorama em Luanda

Published

on

O presidente do Conselho de Administração da Fundação Sagrada Esperança FSE, Roberto de Almeida, garantiu esta terça-feira que a reconstrução do renomado e emblemático Hotel Panorama vai permitir a criação de 600 a 700 novos postos de trabalho na capital do país.

Roberto de Almeida fez estas declarações no âmbito da assinatura de um memorando de entendimento com o Grupo ALCAAL Angola para a reconstrução do Hotel Panorama, cujo investimento ronda os USD 50 milhões (41,2 mil milhões de kwanzas).

Entretanto, no quadro do Memorando assinado, as actuais estruturas do Hotel serão demolidas para dar lugar a um outro projecto, um trabalho que vai levar cerca de 36 meses.

Por sua vez, o presidente do Conselho de Administração do Grupo ACAAL Angola, Jorge Amaral, disse que todas as infra-estruturas e os alicerces do hotel estão totalmente destruídos pelo efeito do mar e por nunca ter sido usado há cerca de duas décadas.

O hotel, que existe há mais de 40 anos, já foi durante muitos anos o único com cinco estrelas em Luanda. Localizado na Ilha de Luanda, o imóvel encontrava-se abandonado há quase três décadas, tendo sido em 2007, despromovido pelo Ministério de Hotelaria e Turismo, para a categoria de uma estrela, depois de passar por um processo de decadência.

De acordo com os responsáveis, a demolição do Hotel Panorama vai depender da obtenção de toda a documentação, um processo que poderá levar seis meses.

Realçar que em 2017, o Hotel foi comprado pela Fundação Sagrada Esperança.

A infra-estrutura vai dispor de 175 quartos, dos quais 160 suites, 10 suites master e cinco presidenciais, além de um centro de convenções para cerca de 500 pessoas, assim como, espaço para um SPA, piscinas e restaurante panorâmico, discoteca, galeria comercial e um parque de estacionamento para viaturas.