Connect with us

Politica

Mais de 300 delegados elegem hoje liderança da JFNLA

Published

on

Mais de 300 delegados vão eleger nesta quinta-feira, 11, e terceiro dia, o homem mais forte da JFNLA, no III congresso que decorre desde esta terça-feira, no Complexo 15 de Março, no Município de Viana, em Luanda.

Três candidatos concorrem a liderança da mocidade da FNLA, nomeadamente Carlos Cassoma, Vita Francisco e Bumba Paiva.

O novo líder do braço juvenil da FNLA vai ser eleito para um mandato de quatro anos, os três concorrentes apresentaram, nesta quarta-feira, as linhas de força dos respectivos programas, tendo Carlos Cassoma, da lista nº 5, sublinhado que defende a formação política e profissional dos jovens, visando a garantia do auto-emprego e a preparação para os futuros desafios políticos e envolvimento da juventude em projectos sociais.

Carlos Cassoma é membro do Comité Central da FNLA, eleito no V Congresso que elegeu Nimi-a-Simbi como presidente do partido.

Já, o candidato da lista nº 2, Bumba Paiva, de 34 anos, elegeu a “revitalização da juventude para o progresso do partido, criar núcleos de mobilização em todo o território nacional e lutar para a emancipação do género feminino da organização”, como suas bandeiras.

Bumba disse que pretende engendrar uma diplomacia para “proporcionar mais visibilidade da JFNLA na sociedade, conquistar o eleitorado jovem, com o fim de alcançar o poder político, defender um Estado neutro nas questões religiosas, mas reconhecendo e respeitando o papel decisivo desempenhado pelo Cristianismo na estruturação da civilização africana e na História de Angola”.

O militante foi secretário-provincial adjunto da JFNLA, secretário municipal da FNLA em Viana e secretário nacional para os Assuntos Políticos da JFNLA. A criação de projectos rentáveis, como centros de formação técnico-profissional, centros médicos e escolas de saúde, como meio de angariar fundos para potenciar e tornar a organização sustentável, constam do programa do candidato Vita Francisco, da lista nº 3.

Vita Francisco ingressou nos quadros da JFNLA na adolescência, sendo actualmente membro do Comité Provincial de Luanda da FNLA, ocupando o cargo de secretário provincial para Informação e Mobilização.

Jornalista multimédia com quase 15 anos de carreira, como repórter, locutor e editor, tratando matérias de índole socioeconómico, cultural e político é o único jornalista angolano eleito entre os 100 “Heróis da Informação” do mundo, pela organização Repórteres Sem Fronteira. Licenciado em Direito, na especialidade Jurídico-Forense, foi ainda editor-chefe e Director Geral da Rádio Despertar.