Connect with us

Economia

Mais de 20 empresas podem ser privatizadas pelo Governo este ano

Published

on

O Secretário de Estado para as Finanças e Tesouro anunciou esta terça-feira, 06, que o Governo prevê, no quadro do Programa de Alienação do Instituto de Gestão de Activos e Participação do Estado, privatizar 26 activos do Estado.

Constam dos 26 activos a Unitel, o Banco Fomento Angola (BFA) e a ENSA.

O Secretário de Estado para Finanças e Tesouro, Ottoniel dos Santos, disse que estão em fase de finalização os processos dos activos de Cabinda, que deve terminar ainda no primeiro trimestre deste ano.

Constam, igualmente, dos activos a privatizar este ano, o Complexo de Frios, a Cerâmica de Sassa Zau, o Armazém do Chimbodo e a Moageira, todos localizados na província de Cabinda.

A decisão saiu da 1ª reunião do ano, da Comissão Nacional Interministerial do Programa de Privatizações (PROPRIV), que determinou igualmente a alienação da participação do Estado no Standard Bank Angola, a partir de um mecanismo de aceleração criado para os processos adjacentes à privatização, por via de procedimento de oferta pública inicial.

Sem definir os valores que o Estado pretende arrecadar com a venda dos 26 activos, ainda este trimestre vão a privatização a CRÊ (através do BPC) e os 39 hotéis da rede UI, bem como as quatro unidades associadas à China International Fund Limited (CIF).

O governante esclareceu que, ao longo do ano, serão ainda colocados à venda outros activos, como os ligados ao sector financeiro, com destaque para a Bolsa de Dívidas e Valores de Angola (BODIVA), que vai abrir o seu capital à participação de novos investidores.

Colunistas