Connect with us

Economia

Maior auto-estrada de África inaugurada em 2024

Published

on

O continente africano terá, ainda este ano, a sua maior rodovia, que liga Cairo, no Egipto, à Cidade de Cabo na Africa do Sul (CCTH), passando por onze países.

A garantia é do Ministério dos Transportes do Egipto, que assegura estarem a ser concluídos os trabalhos no troço da sua responsabilidade.

O CCTH está programado para passar por onze países africanos em uma extensão de 10.228 quilômetros, dos quais 1.155 quilômetros estão no Egipto.

A rodovia ajudará a encurtar tempo de Viagem entre o Norte e o Sul de África para uma média de cinco dias, realizando o sonho de ligar Egipto e a África do Sul.

O CCTH começa a partir do porto de Alexandria no Mediterraneo, passando pelo Cairo até Sudão do Sul, Etiópia, Tanzânia, Quênia, Zâmbia, Zimbábue, Botswana e África do Sul.

No Egipto, ponto de partida, a rodovia passa pelas províncias de Fayoum, Beni Suef, Minya, Assiut, Sohag, Qena, Luxor e Aswan, antes de passar por outros países.

A construção começou em 2020, quando os Ministérios dos Transportes do Egipto e do Sudão assinaram um memorando de cooperação visando construir a infraestrutura rodoviária.

O documento assinado pelos dois governos visa fornecer o financiamento necessário e iniciar um estudo de viabilidade económica, social e ambiental para o projecto de ligação ferroviária entre o Egipto e o Sudão, que se estenderá na sua primeira fase desde a cidade de Assuão até ao sul de Wadi Halfa.

O financiamento será assegurado através da coordenação e cooperação entre o Egipto, o Sudão e o KuwaitFund de Desenvolvimento Económico.

O projeto CCTH é considerado de grande importância para alcançar a ligação terrestre e aumentar o comércio entre os países africanos, bem como servir os cidadãos egípcios e africanos, abrindo novos horizontes para oportunidades de trabalho e alcançar um desenvolvimento abrangente.

A África do Sul já tinha manifestado o seu interesse na cooperação conjunta com o Egipto nos vários domínios dos transportes e no aumento do comércio entre os países africanos através de uma visão global em todos os domínios, incluindo o sector transporte.

Isto acontece especialmente porque o Acordo African Continental Free Trade Area (AfCFTA) oferece diversas oportunidades de cooperação entre os países africanos, o sector dos transportes continua a ser o maior fator que contribuirá efetivamente para a implementação dessas ambições.

Partindo do Egipto, a maior auto-estrada de África vai passar por vários países, sendo que Etiópia, Botsuana, Quênia, Tanzânia, Zâmbia, Zimbábue, e África do Sul participam do projecto sobretudo como membros AfCFTA.

Continue Reading
21 Comments

21 Comments

  1. Hernany Figueiredo Cassinda

    11/03/2024 at 8:54 pm

    Eu adoro este

  2. Mário Gervásio De Zeferino

    11/03/2024 at 10:45 pm

    Bem pensado agora só falta livre circulação entre os africanos e uma moeda africana

  3. Eugénia Faustino

    12/03/2024 at 12:25 am

    Gostei da creatividade😊

  4. Gazpar kandidoz

    12/03/2024 at 7:49 am

    O troço África do Sul-Moçambique enfrenta problema de segurança não consigo imaginar qual esforço os Países vão fazer pra garantir a segurança ao longo dos mais de 10 mil kilómetros.

  5. Antonio Chaves

    12/03/2024 at 7:55 am

    Bem, boa iniciativa aumenta a interligação entre os povos, comercio africano.
    O ensino etc.,etc e tecnologia e outras aereas.

  6. David Djate

    12/03/2024 at 12:02 pm

    Super positivo, países africanos estarão mais unidos…

  7. Celso Elias Bauque

    12/03/2024 at 12:36 pm

    Boa iniciativa. Penso eu que os demais movimentos criados deveriam se espelharem em acções como este. Bom trabalho AFCFTA.

    • João Rodrigues

      12/03/2024 at 4:40 pm

      Grande projecto, vai ajudar na dinamização do sector do turismo e o comércio entre países africanos.

  8. Edson

    12/03/2024 at 1:35 pm

    Iniciativa louvável!
    Já é hora do nosso continente unir esforços no sentido de desenvolver os mais variados sectores das nossas nações.O desenvolvimento humano deve ser prioridade.

  9. Hélio Lourenço Fogo

    12/03/2024 at 2:44 pm

    Bem pensado já é hora da África tomar seu RUMO sem depender do Ocidente

  10. João Rodrigues

    12/03/2024 at 4:42 pm

    Grande projecto, parabéns para os países envolvidos directamente.

  11. Fernando Luciano António Letrado

    12/03/2024 at 8:39 pm

    A ideia é boa. E espero que os outros países africanos sigam o mesmo exemplo. Porque isso alavanca a economia africana.

  12. Daniel Mateus

    13/03/2024 at 12:05 am

    O projeto CCTH é considerado de grande importância para alcançar a ligação terrestre e aumentar o comércio entre os países africanos, bem como servir os cidadãos egípcios e africanos,

    Cidadãos egípcios e africanos? Sério isso!?

  13. Daniel Mateus

    13/03/2024 at 12:10 am

    O projeto CCTH é considerado de grande importância para alcançar a ligação terrestre e aumentar o comércio entre os países africanos, bem como servir os cidadãos egípcios e africanos,

    Cidadãos egípcios e africanos? Sério?!

  14. Poiosse

    13/03/2024 at 6:14 am

    Uma excelente iniciativa para Africa. Quanto aos impactos desta iniciativa, os paises envolvidos e outros devem se preparar para movos desafios mas o desenvolvimento da Africa é pertinente através deste tipo de iniciativas.

  15. Firmino António Mawalala

    13/03/2024 at 10:15 am

    Grande projeto para o nosso continente africano.
    Parabéns os países de organização.

  16. Candolo Daniel Jose

    13/03/2024 at 12:11 pm

    Glória a Deus por essa iniciativa

  17. Gazela do ndande

    13/03/2024 at 1:36 pm

    Os que pensam país, God bless you.

  18. José Chivela

    13/03/2024 at 4:10 pm

    A iniciativa é aplaudido se na verdade este projeto conhecer seu findo, a África precisa ser ligado assim como a Europa, precisamos ter comércio livre, desenvolvimento em comum etc.

  19. Auxílio Victorino Elavoko

    18/03/2024 at 4:57 pm

    É na verdade um projecto ambicioso. No entanto, uma ideia dessa bastante valiosa, devia incluir uma férrea para o comboio rápido (TGV).

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *