Connect with us

Mundo

Mãe trocou filha de três anos por cocaína. Menina é encontrada morta

Published

on

No dia 22 de Abril, uma menina de apenas três anos foi encontrada morta em uma casa abandonada em Pedro Juan Caballero, no Paraguai, causando grande comoção em todo o país. A história da morte de Luz Maida é ainda mais assustadora, pois acredita-se que sua própria mãe a entregou a um traficante de drogas em troca de cocaína. O homem em questão era também namorado da mulher.

De acordo com relatos da imprensa internacional, a menina foi vista sendo levada pelo traficante com o consentimento de sua mãe, em troca de cerca de 30 doses de droga. Imagens de videovigilância capturaram o momento em que a mãe de Luz Maida se inclina para pegar a droga, enquanto o traficante carrega a menina e se afasta do local.

O vídeo, que teria registado os últimos momentos de vida da criança, é assustador e tem causado grande comoção no país. O caso deu visibilidade a grave situação do tráfico de drogas no Paraguai e a necessidade de protecção às crianças vulneráveis a essa realidade cruel. Cerca de 24 horas depois, Luz foi encontrada morta, com sinais de violência. Seu corpo estava enrolado em uma camiseta e, após a autópsia, concluiu-se que a menina teria sido vítima de abuso sexual.

Aurelia, de 42 anos, inicialmente alegou às autoridades que a menina desaparecera de casa enquanto dormia. Mais tarde, após a divulgação das imagens, acabou por confessar o crime e foi detida. O namorado da mulher também foi detido, bem como um jovem de 17 anos.

A comunidade local ficou traumatizada com o ocorrido, e um grupo de moradores da região teria incendiado a casa onde a menina foi encontrada morta, segundo o R7. De acordo com a polícia, a família tem um histórico de tragédias. Aurelia teria mais 12 filhos e teria permitido que uma filha de 12 anos fosse sexualmente abusada por um homem de 30 anos. Ambos os casos estão sendo investigados pela polícia.

O funeral de Luz Maida ocorreu esta semana, com mais de 300 pessoas presentes. O caso gerou indignação em todo o país e levantou questões sobre a necessidade de combater o tráfico de drogas e proteger as crianças vulneráveis.

Com agências internacionais