Connect with us

Lusofonia

Lula solidário com famílias brasileiras e angolanas “que sofreram ataques racistas” em Portugal

Published

on

O antigo chefe de Estado brasileiro e candidato às eleições presidenciais Lula da Silva solidarizou-se com as famílias brasileiras e angolanas que no sábado foram alegadamente vítimas de racismo num restaurante em Portugal.

 “Nenhuma mãe ou pai merece ver seus filhos sendo vítimas de xingamentos racistas”, escreveu no Twitter o ex-presidente brasileiro.

“Minha solidariedade a Giovanna Ewbank, Bruno Gagliasso, sua família e também aos turistas angolanos que sofreram ataques racistas no passado sábado. Vamos construir um mundo sem racismo”, acrescentou Lula da Silva.

A reação do ex-presidente brasileiro surge depois de a atriz, modelo e apresentadora brasileira Giovanna Ewbank ter denunciado nas redes sociais que os seus filhos foram vítimas de racismo num restaurante na Costa da Caparica.

Uma família de turistas angolanos que estavam no local também terá sido vítima de racismo por parte de uma mulher alcoolizada, que foi detida pelas autoridades, mas que, entretanto foi libertada.

“Comunicamos que os filhos do casal Giovanna Ewbank e Bruno Gagliasso foram vítimas de racismo no restaurante  Clássico Beach Club, na Costa da Caparica, em Portugal, neste sábado, dia 30 de julho, onde a família passa férias. Uma mulher branca, que passava na frente do restaurante, xingou, deliberadamente, os filhos menores do casal e uma família de turistas angolanos que estavam no local – cerca de 15 pessoas negras”, lê-se num comunicado divulgado pela assessoria de imprensa da atriz brasileira.

“A criminosa pedia que eles saíssem do restaurante e voltassem para a  África, entre outras absurdos proferidos às crianças, tais quais ‘pretos imundos'”, acrescenta a mesma nota.

O casal brasileiro confirmou que vai apresentar queixa às autoridades.

Os factos

O caso foi divulgado através de um vídeo nas redes sociais em que é possível ver e ouvir, na esplanada do restaurante Clássico Beach Club, a atriz brasileira muito transtornada e a acusar uma outra mulher, sentada e de costas, de ser uma “racista nojenta”, ameaçando-a com “um soco e uma porrada na cara”. O ator Bruno Gagliasso também surge no vídeo, mas não tem intervenção visível.

Noutras imagens que também circulam pelas redes sociais é possível ver a mulher confrontada pela atriz a ser acompanhada até à saída da praia por três agentes da  PSP.

Mais tarde, a empresa de comunicação Trigo, que representa o casal, emitiu um comunicado em que explica que além dos filhos menores do casal, também uma “família de turistas  angolanos”, que estava no local, foi alvo de insultos racistas por parte da mulher em questão.

“A criminosa pedia que eles saíssem do restaurante e voltassem para a África, entre outros absurdos proferidos às crianças, tais quais ‘pretos imundos'”, lê-se no comunicado divulgado.

Os representantes revelam ainda que foi Bruno Gagliasso quem chamou a polícia e adiantam que o casal vai apresentar “formalmente” uma queixa às autoridades portuguesas.

O caso está a provocar grande revolta no Brasil e é largamente comentado nas redes sociais. À rede Globo, a atriz brasileira eagiu com apenas uma frase: “Vamos passar por cima dos racistas.”

Até ao momento, nenhum dos governantes dos três países se pronunciou oficialmente sobre o incidente.

Continue Reading
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado.