Connect with us

Sociedade

Luanda: Administração do Sequele pondera proibir mototaxi na centralidade

Published

on

O Conselho Administração do Distrito Urbano da Centralidade do Sequele, no Município de Cacuaco, em Luanda, deu uma moratória de 30 dias, a partir da data de hoje, 22 de Setembro, para que as associações de mototaxis se reorganizam antes que seja proibida a actividade de mototaxi dentro daquela centralidade.

De acordo com administrador do Sequele, Francisco Tchipilica, a decisão foi tomada em unaminimidade pelo conselho da administração, em acordo com os responsáveis dos edifícios, associações de táxis e de organizações de mototáxistas que operam naquela centralidade situada no Norte da capitaldo país.

Uma das razões desta decisão, tem haver, com o elevado número de acidentes e atropelamentos causados por estes automobilistas de duas rodas, onde as crianças se destacam como as principais vítimas.

O gestor da Centralidade do Sequele fundamenta que muitos dos mototaxistas “circulam sem iluminação no período noturno, desrespeitam as sinalização, andam na contramão, fazem criação de paragem vulgo (placas) descoordenadas, criam perturbação aos moradores e várias outras razões”.

Francisco Chipilica explica que nos últimos 20 dias, sete crianças foram atropeladas por mototaxistas, “e estes, ao invés de prestarem socorro às vitimas, colocam-se em fuga”.

Por sua vez, os Coordenadores dos Blocos da Centralidade, apoiam a iniciativa, mas, recomendam a administração a reflectir sobre o impacto negativo que virá causar aos moradores, pelo facto de ser um meio usado para as deslocações Rápidas no interior da centralidade.

O encontro surge após vários períodos de reclamações dos moradores junto da administração local sobre a circulação dos motaxis dentro da centralidade. Na reunião também foi analisada a venda desorganizadas das vendedeiras naquela urbanização, bem como a ocupação ilegal de terrenos naquela região de Cacuaco.