Connect with us

Politica

Líder da UNITA denuncia irregularidades na actualização do registo eleitoral

Published

on

Após o arranque  do “registo eleitoral oficioso”, na quinta-feira, 23, no município de Cacuaco, em Luanda, lançado pelo ministro da Administração do Território, Marcy Lopes, são vários cidadãos que têm denunciado sobre as irregularidades deste processo.

Uma destas vozes foi nada mais, nada menos, a do líder da maior formação política na oposição em Angola, Adalberto Costa Júnior, que revelou que os cidadãos que dirigem-se aos postos de atendimento estão a ser exigido apresentar recibos de pagamentos de energia e água.

O presidente da UNITA fez tal denúncia no ultimo domingo, em Cacuaco, quando participava numa palestra com o tema “Angola os desafios da democracia”,  organizada pelo Projecto Agir, uma organização da sociedade civil, sedeada neste município.

Adalberto Costa Júnior disse que muitos cidadãos estão a actualizar os dados do registo eleitoral com a apresentação de um comprovativo de pagamento de energia ou de água.

O líder do Galo Negro  desafiou os membros do Governo a mostrarem que parte da lei está dito que se pode actualizar o registo com a cópia daquele documento. “Se houver algum decreto particular, é ilegal porque viola a Constituição da República”, disse.

O presidente do maior partido na oposição, defendeu, perante uma plateia maioritariamente de jovens que votaram pela primeira vez em 2022, a alteração do sistema eleitoral em Angola, assegurando que o actual é inconstitucional, porque, num único boletim de voto, se elege o Presidente da República e os deputados à Assembleia Nacional.

Adalberto Costa Júnior disse que “o facto de, até hoje, o país não ter criado condições efectivas para a realização de eleições autárquicas demonstra que não vivemos em democracia”.