Connect with us

Mundo

Líder da oposição sul-africana recorda apoio russo na batalha do Cuito Cuanavale: “Putin é bem vindo aqui”

Published

on

O deputado e líder dos Combatentes da Liberdade Económica (EFF, da sigla em Inglês), partido da oposição na África do Sul, disse esta sexta-feira, 24, que “Putin é bem vindo e que  ninguém vai prendê-lo”.

Em causa está o convite feito ontem ao Presidente da Rússia, pela ministra dos Negócios Estrangeiros da África do Sul, Naledi Pandor, para que Vladimir Putin participe da cimeira do BRICS em Agosto, apesar do mandado de detenção do Tribunal Penal Internacional (TPI) contra ele.

Por ser Estado-membro do TPI, a África do Sul, que receberá a cimeira de chefes de Estado e de Governo do BRICS em Durban, em Agosto, é obrigada a cooperar na detenção de Putin. De recordar que, conforme publicado pelo Correio da Kianda, o tribunal internacional emitiu na sexta-feira um mandado de detenção para o líder russo por alegados crimes de guerra.

“Se for necessário, iremos buscar o Putin no aeroporto para a sua reunião. Ele fará tudo que tem que fazer, depois levaremos de novo ao aeroporto”, indicou, Julius Malema, alegando que a África do Sul, não será comandada “pela Corte Criminal Internacional que conhecem os verdadeiros violadores dos direitos humanos, os criminosos desse mundo. Sabemos muito bem que a OTAN está envolvida, que eles são terroristas”, acusou.

Em declarações divulgadas num vídeo posto a circular nas redes sociais, Julius Malema faz menção ao apoio da Rússia durante a Batalha do Cuito Cuanavale: “conhecemos os nossos amigos, conhecemos quem nos libertou, conhecemos quem nos apoiou com armas  utilizadas no Cuito Cuanavale”, a batalha mais prolongada que teve lugar no continente africano desde a Segunda Guerra Mundial, considerada também a segunda maior batalha de terreno do século XX, superada apenas pela batalha de Kursk.

Ocorrido entre 15 de Novembro de 1987 e 23 de Março de 1988, a Batalha de Cuíto Cuanavale foi o maior confronto militar da Guerra Civil Angolana, ocorrida no Sul de Angola, na região do Cuíto Cuanavale, província de Cuando Cubango, onde se confrontaram os exércitos de Angola (FAPLA) e Cuba (FAR) contra a UNITA (União Nacional para a Independência Total de Angola) e o exército sul-africano.

Seguindo uma série de tentativas frustradas de dominar a região em 1986, oito brigadas da FAPLA realizaram uma ofensiva, conhecida como “Operação Saludando Octubre” em Agosto de 1987 contra as bases da UNITA em Jamba e Mavinga, contando com apoio de armas e tanques T-62 soviéticos, bem como unidades motorizadas cubanas. A África do Sul, que fazia fronteira com Angola por meio do território em disputa da actual Namíbia, estava determinada em prevenir que a FAPLA ganhasse controlo da região e permitisse que a Organização do Povo do Sudoeste Africano actuasse no local, o que colocaria o regime do Apartheid em cheque.

Ambos os lados do conflito reivindicaram vitória, e até hoje as narrativas e memórias sobre a batalha são objecto de debate. Não obstante, o evento tornou-se o ponto de viragem decisivo na guerra que se arrastava há longos anos, incentivando um acordo entre sul-africanos e cubanos para a retirada de tropas e a assinatura dos Acordos de Nova Iorque, que deram origem à implementação da resolução 435/78 do Conselho de Segurança da ONU, levando à independência da Namíbia e ao fim do regime de segregação racial, que vigorava na África do Sul.

Formada em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo, a profissional actua no mercado de comunicação há 18 anos. Iniciou a sua carreira em 2004, apresentando um programa de rádio e logo migrou para a comunicação digital, para a impressa e, posteriormente, a institucional. Tem vasta experiência como web journalist, criação e gestão de redes sociais, tendo participado dos projectos de desenvolvimento de diversos sites, blogs e redes sociais governamentais, privados e do terceiro sector. Reside em Luanda desde 2012, tendo trabalhado como jornalista no portal de notícias Rede Angola, como assessora de imprensa e directora de Comunicação e Operações nas Agências NC - Núcleo de Comunicação e F.O.T.Y, atendendo diversos clientes governamentais e privados. Actualmente trabalha como editora do portal Correio da Kianda.