Connect with us

Politica

Lançamento do Angosat-2 previsto para início de 2022

Published

on

O Angosat-2, satélite angolano de comunicação geoestacionário, em construção pela AirBus Defence and Space, estará concluído dentro de 21 meses, anunciou nesta sexta-feira, 11, o director do Gabinete de Gestão do Programa Espacial Nacional (GGPEN), Zolana João.

Ao falar no webinar sobre Investigação Científica, Inovação, Empreendedorismo e a Contribuição das TICs, numa organização da Sociedade Angolana de Computação (SAC), disse que o lançamento do satélite está previsto para o primeiro semestre de 2022.

“Nós comunicamos a semana passada que o lançamento está para o primeiro semestre de 2022 e estamos a cerca de 21 meses desta data, para o prazo de conclusão”, afirmou o responsável.

O satélite será baseado na plataforma Eurostar-3000 e o tempo de vida útil será de quinze anos.

A construção do novo satélite não terá custo para o Estado angolano, pelo facto do contrato de mais de USD 300 milhões, rubricado com a parte russa, para construção do Angosat-1 ter acautelado os interesses de Angola, em caso de desaparecimento ou destruição do satélite.

Angosat-1

O AngoSat-1 foi um satélite de comunicação construído pela empresa russa RSC Energia que seria operado pela AngoSat. O satélite foi baseado na plataforma USP Bus e seu tempo de vida útil era de 15 anos.

O contrato foi assinado pelas partes russas e angolanas no ano de 2009. Nos anos seguintes, ambas as partes realizaram um trabalho em conjunto para organizar o financiamento do projecto, que tornou possível proceder à sua aplicação prática. O trabalho sobre o satélite começou no final de 2012.

O satélite Angosat-1 foi lançado com sucesso ao espaço no dia 26 de Dezembro de 2017, às 19:00 UTC, por meio de um veículo Zenit-3F/Fregat-SB, a partir do Cosmódromo de Baikonur, no Cazaquistão.  Houve uma perda primária de contacto tão logo que o satélite entrou em órbita, as comunicações foram recuperadas e logo perdidas novamente até ao presente.

Quanto ao Angosat-2, em construção pela Airbus,  terá mais capacidade na Banda Ku em relação à Banda C, para poder suportar a internet.

O Angosat-1 tinha sido lançado em órbita na noite de 26 de Dezembro de 2017, através do foguete transportador ucraniano Zenit, a partir do cosmódromo Baikonur, no Cazaquistão, mas perdeu-se no espaço depois do seu lançamento.

Angola escolheu a Reshetnev Information Satellite Systems para desenvolver o segundo satélite de telecomunicações, Angosat-2.

Por Angop