Connect with us

Economia

KWiK: lançado novo sistema de transferências instantâneas

Published

on

Foi lançado esta sexta-feira, 21, um novo sistema de pagamentos instantâneos denominado Kwanza Instantâneo (KWiK) para coexistir no mercado angolano com a marca Multicaixa.

Trata-se de um sistema de transferências financeiras momentâneas, denominado Kwanza Instantâneo (KwiK) e visa facilitar e simplificar as transferências de valores que se reflectem na conta do destinatário no mesmo instante.

O governador do Banco Nacional de Angola (BNA), Manuel Tiago Dias, que presidiu a cerimónia de lançamento, disse que o programa resulta de um trabalho que tem sido feito pela EMIS, há dois anos, com o apoio do banco central angolano.

“Este programa resultou de uma avaliação conjunta que foi feita no âmbito da assistência técnica do Banco Mundial, perspectivando o aumento dos níveis de inclusão financeira em Angola”, afirmou.

Reconheceu que a taxa de bancarização da população adulta em Angola ainda é baixa, o que, acrescenta o governante, significa que grande parte da nossa população adulta se encontra excluída do acesso aos serviços bancários.

“Se podemos dizer que Angola está relativamente bem no que toca aos serviços bancários clássicos, colocando-se ao nível do que de melhor se pratica em África, o mesmo não podemos dizer no que toca a soluções orientadas para a população não bancarizada, onde as ofertas existentes são ainda muito limitadas”, afirmou.

Manuel Tiago Dias considerou o serviço de transferências instantâneas como o início ao acesso aos serviços financeiros elementares, e mostram-se importantes pelo facto de promover a formalização da economia e servir de via de acesso ao microcrédito, que sublinhou ser o principal objectivo dos programas de inclusão financeira.

“Neste contexto, o BNA, em parceria com a EMIS, decidiu assumir um papel activo no desenvolvimento deste novo instrumento de pagamento, que é o KWiK, um instrumento de pagamento moderno, adaptado à realidade do mundo não bancário, inclusivo e de fácil utilização”, disse.

Afirmou ainda que o desenvolvimento de um instrumento de pagamento de aceitação universal obriga à existência de uma infraestrutura de mercado financeiro que assegure a interoperabilidade entre todos os prestadores de serviços participantes, em igualdade de condições, sejam eles bancários ou não bancários.

Assim, tendo em conta a importância da interoperabilidade, à semelhança do que está a ocorrer em outras geografias, onde o Estado assume a responsabilidade pelas infraestruturas de mercado financeiro que suportam os instrumentos de pagamentos inclusivos, o BNA está a avaliar a adopção de uma moratória alargada sobre os custos de interoperabilidade com o arranjo KWiK, para todos os prestadores de serviços participantes.

Sobre o acrónimo KWiK, o governador disse foi escolhido como forma de facilitar a inclusão, com marca única e de fácil reconhecimento do público e aceite pelos prestadores de serviços de pagamento, comparando com os serviços da marca Multicaixa.

“Pretendemos, portanto, que o novo instrumento de pagamento, o KWiK – Kwanza Instantâneo se desenvolva no nosso mercado, num ecossistema que propicie condições para que as startups possam encontrar espaço que lhes permita dar o seu contributo no Sistema de Pagamentos de Angola”, reiterou.

Sublinhou ainda que as transferências instantâneas KWiK e o cartão Multicaixa correspondem, passam a coexistir no mercado dos serviços de pagamentos, constituindo-se assim em
dois instrumentos de pagamento no país.

Colunistas