Connect with us

Sociedade

Justiça por mãos próprias preocupa sociedade em Luanda

Published

on

Os familiares do jovem Caleb, linchado pela população no município do Cazenga, em Luanda, na semana finda, dizem esperar que os envolvidos sejam responsabilizados severamente, pelo acto bárbaro protagonizado. De acordo com as autoridades policiais, alguns dos implicados na morte do cantor gospel já estão detidos.

A irmã da vítima conta que Caleb teria ido até a casa de uma jovem que devia dinheiro por tirar fichas na sua máquina sem pagar e exigiu confiscar o telefone da mesma como forma de garantia até que a dívida fosse paga.

De acordo com a irmã, a situação intensificou quando a moça começou a gritar por socorro, alegando que Caleb era um ladrão. O facto, levou a população a atacar brutalmente o jovem, utilizando objectos contundentes, levando-o até a morte.

A mesma disse, por outro lado, que a família ficou desolada quando recebeu a informação que dava conta da morte do irmão e dizem esperar que os envolvidos sejam responsabilizados severamente.

Por sua vez, o porta-voz do SIC em Luanda, Fernando de Carvalho, garante que já foram detidos alguns dos envolvidos na morte do jovem, crime este que chocou a sociedade luandense.

Em declarações ao Correio da Kianda, o psicólogo Jerbí Kaculete defende a conjugação de esforços de todas as forças vivas da sociedade, para o resgate do amor ao próximo e consequente redução de justiça por mãos próprias e surgimento de lutas entre grupos rivais.

Segundo disse, a falta de ocupação tem contribuído para o surgimento de grupos de jovens e adolescentes que lutam entre si, facto que muitas das vezes resulta em mortes.

O sociólogo Samora Neves, entende que as famílias jogam um papel importante na consciencialização dos filhos, por isso apela “mais diálogo no lar”.

O jornalista Maurício Seque Seque, afirma que a missão de prevenir a criminalidade, não pode ser exclusivamente das autoridades policiais e busca o suporte histórico para sustentar a sua afirmação.

O porta-voz da Polícia Nacional em Luanda Nestor Goubel avançou, igualmente, que a corporação tem levado a cabo diversas acções para estancar os casos de justiça por mãos próprias e lutas entre grupos rivais.

Formado em radiojornalismo, com passagem por órgãos de comunicação social públicos e privados. Possui formação internacional em Comunicação e Multimedia. Estudante do curso superior de Gestão/Comunicação e Marketing.