Connect with us

Sociedade

Jovens no Huambo clamam por resolução de problemas sociais

Published

on

Emprego, habitação, acesso ao crédito bancário, educação em todos os níveis e melhoria da assistência médica constam das principais necessidades da juventude no Huambo.

O grito de socorro vem dos dirigentes juvenis dos partidos políticos e organizações sociais no Huambo. Numa ronda efectuada pelo Correio da Kianda, os jovens defendem que os problemas sociais devem merecer prioridade e maior atenção em particular nos municípios do interior da província.

Os jovens foram unânimes em dizer que as dificuldades no acesso ao crédito bancário para poderem iniciar os pequenos negócios, habitação, ensino, principalmente de nível superior, primeiro emprego  e as debilidades na assistência médica medicamentosa, são os principais problemas que afligem a juventude.

O coordenador do Ndjango-Cultural do Huambo, Luís de Castro, disse que, assim como no resto do país, as dificuldades da juventude a nível província já estão identificados, apelando a criação de mais oportunidades de emprego, centros profissionais para a juventude, a fim de evitar certos problemas que assolam os jovens. E que os mesmos possam se engajar num programa de artes e ofícios por formas a garantirem fontes de rendimentos

Por sua vez, o secretario provincial da juventude do PRS-JURS, Silva Cassinda Joaquim, aconselha o governo local a materialização das políticas públicas viradas à juventude para mitigar dificuldades eminentes da juventude.

 “Os concursos públicos não têm cobrido a demanda e a corrupção é outro mal. Muitos terminam o ensino médio ou superior, depois ficam a sua sorte sem conseguir o primeiro emprego, porque o número de vagas não corresponde com o número de candidatos inscritos. Os jovens têm encontrado sempre grandes dificuldades no acesso ao crédito para poderem iniciar pequenos negócios”. Segundo ele, “se não és JMPLA pior ainda”.

O secretário provincial adjunto da juventude da CASA-CE-JPA disse que o executivo tem de criar políticas que beneficiam os jovens e a expansão do ensino superior em todos os municípios da província. Acrescentou que quanto a habitação, o governo deve distribuir terrenos à juventude. Disse ainda que a falta de emprego é outro problema e é preciso apostarem na formação académica e profissional.

No Huambo, os líderes das organizações juvenis disseram ao Correio da Kianda que os problemas sociais devem merecer prioridade, tendo como epicentro os jovens.