Connect with us

Angola

Jovens no Cuando Cubango clamam por mais instituições de Ensino Superior – JLO está em Menongue

Published

on

Em vésperas da ida do Presidente da República à província do Cuando Cubango, o Correio da Kianda ouviu este domingo, 7, vários jovens, na Cidade de Menongue, onde a equipa de reportagem deste jornal faz-se presente.

Entre o clamor e a angústia, o grito de socorro lançado pelos jovens, que esperam da visita do mais alto mandatário ao país, apesar de ser uma visita de carácter militar, nas terras antes conhecida como do “fim do mundo” e hoje, “terras do progresso”, a unanimidade recai para a construção de mais instituições de Ensino Superior, uma vez que, em toda a extensão, a província conta apenas com uma pública.

Juntam-se a estas preocupações de dificuldades no acesso ao Ensino Superior, outras, como, por exemplo, mencionados pelos nossos entrevistados, a construção de uma centralidade na capital da província.

A este jornal, revelaram os jovens  de Menongue, que por conta da insuficiência de Instituições de Ensino Superior, a fuga de jovens para outras províncias, assim como para o exterior do país, tem se tornado num facto, cada vez mais crescente, por não se conseguir no Cuando Cubango dar continuidade à formação académica.

“Precisa-se, com maior urgência, aumentar o número de instituições de ensino superior públicas e privadas aqui no Cuando Cubango, porque as duas existentes, nomeadamente a Universidade Cuito Cuanavale, que é a única pública, e o Instituto Superior Politécnico Privado de Menongue, não suportam a demanda de jovens que vêm dos quatro institutos médios da região”, disse, ao Correio da Kianda, Joel Miguel, morador de Menongue, e estudante universitário, de 32 anos de idade.

“A província precisa enriquecer cada vez mais o plano curricular das universidades já existentes, no sentido de se dar resposta às exigências da juventude”, referiu, um outro jovem, que não aceitou identificar-se, também estudante universitário, morador de Menongue.

Segundos alguns cidadãos entrevistados pelo Correio da Kianda, muitos são os jovens que devido as dificuldades no acesso ao Ensino Superior, em Menongue, quando optam por migrar para outras províncias, onde acabam por encontrar oportunidade de melhores condições de vida, o regresso ao Cuando Cubango, torna-se numa opção de escolha.

“A fuga de quadros no Cuando Cubango é o que mais temos assistido porque aqui, quase que não há oportunidade de nada, ainda bem que o Presidente vem para aqui, seria bom que olhasse para as políticas públicas e sociais da província”, disse, um outro entrevistado pelo Correio da Kianda, em Menongue.

Colunistas