Connect with us

Sociedade

Jornalistas com testes reactivos à Covid-19

Published

on

A campanha massiva de testagem em grandes aglomerados populacionais, que teve início nos últimos cinco dias nos mercados de Luanda, chegou ao fim, dando lugar à fase de analisar amostras de grupos específicos, que iniciou com testes aos jornalistas e outros profissionais da comunicação social.

Desde as primeiras horas de hoje, os profissionais de diferentes órgãos, com destaque aos da TPA, Jornal de Angola e RNA, foram testados para a Covid-19, depois de ter surgido um caso positivo na Televisão Pública de Angola.

Foram testados no total, mais de mil jornalistas e outros funcionários ligados Ministério da Justiça, onze dos quais testaram reactivos e serão ainda hoje encaminhados para quarentena institucional.

É de ressaltar que as pessoas reactivas ao teste rápido nem sempre são tidas como casos activos confirmados, razão pela qual, de acordo com declarações feitas pela ministra da Saúde, Sílvia Lutucuta, devem ser submetidas a outro exame de confirmação, que poderá dar o resultado definitivo (positivo ou negativo à Covid-19).

Em solidariedade aos jornalistas, o ministro das Telecomunicações, Tecnologias de Informação e Comunicação Social, Manuel Homem, que esteve no local da testagem a acompanhar o processo, apelou aos jornalistas e à sociedade no geral a continuarem a observar as medidas de protecção para evitar a propagação do novo coronavírus no país

Manuel Homem, ministro do Pelouro da Comunicação Social, acalmou os profissionais presentes no local, sublinhando “não haver necessidade para pânico, por ser um processo normal de rastreio que visa avaliar o estado serológico dos quadros do sector, por ser um grupo que está intensivamente na rua todos os dias”, disse.