Connect with us

Sociedade

Jornalista angolano Coque Mukuta abre a primeira Biblioteca Comunitária do Zango II

Inaugurada no dia em que o país celebrou mais um ano de paz, a biblioteca comunitária do Zango II recebe uma média de 10 visitantes por dia, na maioria crianças.

Published

on

Localizada no município de Viana, distrito urbano do Zango II, rua 3, casa C88D, em Luanda, a biblioteca possui um acerco composto por mais de mil livros, entre físicos e digitais, bem como uma colecção bibliográfica multidisciplinar, em diversas tipologias documentais. Segundo o seu criador, Coque Mukuta, o projecto pretende democratizar o acesso à cultura, incentivar a leitura, promover a cidadania, visando combater a exclusão, a desigualdade e a marginalização no seio da população. O mentor sentiu-se na obrigação de criar um espaço com aquelas características também pelo facto de ser professor na localidade, há cinco anos, e ter presenciado a necessidade de um espaço destinado aos alunos onde possam consultar temas académicos, e não só.

Inicialmente pensou em criar apenas um espaço de leitura, mas depois decidiu erguer a biblioteca comunitária. Para a materialização do projecto, contou com a ajuda de alguns amigos que foram oferecendo livros. Houve outros que pretendiam juntar-se ao plano e com o seu esforço conseguiram receber ofertas de mais livros. O espaço tem capacidade para albergar 20 pessoas, outras vão entrando alternadamente, duas a duas, e funciona de Terça a Sexta-feira, das 8 às 16 horas. Fica aberta também no período de férias das 9 às 15h e aos Sábados das 9 às 14 horas.

Coque lamenta o facto de a região carecer deste tipo de espaços, em que os estudantes possam encontrar diversidade em termos de livros para consultas e aumentar a sua capacidade intelectual, apesar de no Zango existirem três institutos superiores.Por ser um pequeno espaço, a biblioteca conta apenas com os préstimos de Fabrício Francisco, o bibliotecário, este que ao OPAÍS revelou diariamente receberem 10 visitantes, sendo a maioria alunos do Iº Ciclo, facto que o leva a crer que as crianças estão a ganhar hábitos de leitura.

Vigílio Fernandes, morador do Zango II, aplaude a ideia e considera que a biblioteca representa uma grande vantagem para a comunidade estudantil, que era obrigada a percorrer longas distâncias para chegar a uma biblioteca. “Eu, por exemplo, tinha de sair daqui e ir a Mutamba, para ter acesso a uma biblioteca”. Dona Maria Helena da Silva tem quatro filhos que frequentam a escola, recorda que muitas vezes os mesmos tiveram que dirigir-se ao centro da cidade à procura de um local onde pudessem resolver os trabalhos da escola. Agora, os jovens da localidade ganharam um espaço onde poderão dedicar-se mais à leitura.

Continue Reading
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *