Connect with us

Mundo

Joe Biden confirma morte do líder do Estado Islâmico em operação militar na Síria

Published

on

O presidente dos EUA, Joe Biden, confirmou esta quinta-feira que o líder do Estado Islâmico (EI), Abu Ibrahim al-Hashimi al-Qurashi, foi eliminado na operação antiterrorista feita no noroeste da Síria na última noite.

“Ontem à noite, sob a minha direção, as forças militares americanas no noroeste da Síria realizaram com êxito uma operação antiterrorista (…) graças à habilidade e valentia das nossas Forças Armadas, conseguimos retirar Abu Ibrahim al-Hashimi al-Qurashi do campo de batalha”, anunciou Biden em comunicado.

Biden, que confirmou que todos os americanos que participaram na operação regressaram a salvo, disse que a ação militar pretendia “proteger o povo americano” e os seus aliados, e “tornar o mundo num lugar mais seguro”.

O Governo americano anunciou nas primeiras horas da noite passada que tinha “conduzido com sucesso” a operação na província de Idlib, o último reduto da oposição no noroeste da Síria.

“As forças de Operações Especiais sob o controlo do Comando Central dos EUA conduziram esta noite uma missão antiterrorista no noroeste da Síria. A missão foi bem sucedida”, anunciou o porta-voz do Pentágono, John Kirby, num sucinto comunicado.

Os chamados Capacetes Brancos, um grupo de socorristas que operam em zonas da Síria controladas pela oposição, elevam para treze, entre eles seis menores, o número de mortos nesta ação americana.

O Observatório Sírio dos Direitos Humanos confirmou também em comunicado a morte de 13 pessoas, incluindo cinco crianças e três mulheres, enquanto três outros corpos ficaram “despedaçados” e ainda não foram identificados.

 

EFE

Colunistas