Connect with us

Politica

João Lourenço reafirma intenção de recuperar bens construídos com dinheiro do Estado

Published

on

Em alusão às celebrações do Dia da Independência, que se assinalou nesta quarta-feira, 11 de Novembro, o Presidente da República, João Lourenço, inaugurou o Hotel Intercontinental Luanda Miramar, de cinco estrelas, investimento de USD 600 milhões, construído com um capital público.

Na ocasião, João Lourenço fez saber que o executivo vai continuar a recuperar os activos do Estado que se encontram nas mãos dos privados.

“Devemos continuar a trabalhar para recuperar tudo aquilo que foi realizado com capitais públicos, mas que, infelizmente, em determinada altura, deixaram de ter o Estado como principal accionista”, reforçou.

João Lourenço deu como exemplo a mesma unidade hoteleira que foi construída com dinheiro do Estado através da Sonangol, depois de estar confiscada pela Procuradoria-Geral da República, acabando por ser devolvida ao próprio Estado.

De acordo com o titular do poder Executivo, com a inauguração desta unidade hoteleira, o país acaba de abrir as portas para atracção de maior investimento do estrangeiro, que invistam não só neste ramo, mas também em outras áreas, o que poderá também potencializar o turismo.

João Lourenço disse que o Hotel Intercontinental Luanda Miramar poderá gerar mais de 900 postos de trabalhos directos e outros indirectos, o que, para o presidente, não é suficiente face ao elevado índice do desemprego em Angola.

O chefe do Governo quer ver o sector do turismo avançar, não só em Luanda mas nas demais províncias, construindo não só hotéis da dimensão desta inaugurada.

Dentre várias outras actividades realizadas ontem pelo presidente, consta a deslocação ao Museu de História Militar para assistir ao içar da bandeira e a deposição de uma coroa de flores em homenagem ao primeiro presidente de Angola, António Agostinho Neto, junto do seu sarcófago, no memorial com seu nome, em Luanda.

A infra-estrutura passou recentemente para esfera pública (património da Sonangol), através de uma decisão presidencial, um negócio em que a petrolífera angolana passa a ser o sócio maioritário.

Hotel inaugurado por João Lourenço vai gerar 900 empregos