Connect with us

Destaque

João Lourenço pede nova mentalidade

Published

on

O candidato do MPLA a Presidente da República, João Manuel Lourenço, defendeu neste sábado, em Luanda, a necessidade de mudança de mentalidades e do resgate dos valores morais, cívicos e éticos da sociedade angolana.

João Lourenço falou no acto político de apresentação da sua candidatura como cabeça de lista do MPLA às eleições gerais de 2017, realizado no campo do Mabor-Malha, município do Cazenga, em Luanda.

“Vamos trabalhar para resolver os problemas do povo, que são inúmeros. Para tal, precisamos de formar os nossos quadros, fazer investimentos em várias áreas, ter recursos financeiros e materiais para o efeito e também de mudar as nossas mentalidades, resgatar os valores morais, cívicos e éticos da sociedade, que vêm se perdendo dia a dia”, afirmou.

Para si, o centro da mudança é o homem, daí a razão de este precisar ser formado do ponto de vista académico e profissional.

Enfatizou que o cidadão deve ser educado a respeitar a lei e os seus superiores hierárquicos.

O também vice-presidente do MPLA falou da poluição sonora, por prejudicar os membros da comunidade.

“Ninguém está a dizer que não se deve dar festas, continuemos a dar as nossas festas, as nossas farras, mas de formas a não prejudicar os outros membros da sociedade”.

Precisou que a família, enquanto célula da sociedade angolana, é a primeira a ser chamada para esta tarefa de resgate dos valores.

Lembrou que, na sequência da guerra, houve grande desestruturação da família angolana, mas agora trabalha-se no sentido da estruturação das famílias, do resgate dos valores morais, éticos e cívicos.

João Lourenço agradeceu as famílias, igrejas e a comunicação social, pelo trabalho que desempenham tendentes a recuperação dos valores.

Durante a sua intervenção, o cabeça de lista defendeu a necessidade de se criar um prémio para aquelas pessoas e instituições que preservam os bens adquiridos, por muitos anos.

“Por muitos recursos que tenhamos, não é possível continuarmos com a cultura do comprou, estragou e deitou fora, para a aquisição de outro bem”, frisou.

O Comité Central do MPLA, na sua última sessão ordinária, realizada a 3 de Fevereiro do corrente ano, sob orientação do Presidente José Eduardo dos Santos, indicou João Lourenço como cabeça de lista do partido.

Nesta condição, o candidato deslocou-se já às províncias da Huíla, da Lunda Norte e do Bié, para a sua apresentação pública à população.

Angola realiza este ano as quartas eleições, depois da ida às urnas em 1992, 2008 e 2012.

Em 2012, o Movimento Popular de Libertação de Angola (MPLA)  venceu o sufrágio com 71,84 porcento dos votos.

Isso valeu-lhe um total de 175 deputados no Parlamento, contra 32 da UNITA, oito da CASA-CE, três do PRS  e dois da FNLA.

 

Colunistas