Connect with us

Politica

João Lourenço enfrenta pior momento económico do seu segundo mandato, diz politólogo

Published

on

O politólogo Agostinho Sicato é de opinião que o primeiro ano do consulado da governação de João Lourenço está a ser difícil em relação ao primeiro ano do seu mandato, “por culpa da situação conjunctural”.

Falando esta quinta-feira, 24, à Rádio Correio da Kianda, Sicato disse que “está a ser um consulado bastante difícil” para João Lourenço em relação ao primeiro, que teve início em 2017 porque “a situação económica está muito mais apertada para o Executivo, decorrente da actual conjunctura, concretamente o mercado internacional, mas também um pouco das más políticas públicas aplicadas no passado, hoje, vive-se as consequências, que elevam as dificuldades do governo do Presidente João Lourenço”.

“Naquela altura, o cidadão conseguia ainda sobreviver, agora, a situação está cada vez mais apertada, basta olhar para a desvalorização do kwanza, a decadência do empresariado nacional, portanto, tantos outros indicadores que podem nos levar a concluir que o Executivo de João Lourenço não está a viver momentos áureos”, disse Agostinho Sicato.

O académico argumentou, por outro lado, que o “Governo tem um desafio até 2027, altura que haverá um outro governo, ou a renovação do mesmo”, porém, o que o cidadão espera é “a transformação das promessas eleitorais sejam traduzidas em políticas públicas, nas comunidades, para pôr termo ao sofrimento que grassa as populações, porque hoje os angolanos vivem um sofrimento sem precedente”, disse, Sicato.

João Lourenço foi reeleito para um segundo mandato presidencial de cinco anos, com a vitória do MPLA nas eleições gerais de 24 de Agosto de 2022.

Jornalista multimédia com quase 15 anos de carreira, como repórter, locutor e editor, tratando matérias de índole socioeconómico, cultural e político é o único jornalista angolano eleito entre os 100 “Heróis da Informação” do mundo, pela organização Repórteres Sem Fronteira. Licenciado em Direito, na especialidade Jurídico-Forense, foi ainda editor-chefe e Director Geral da Rádio Despertar.