Connect with us

Politica

João Lourenço denuncia supostos militantes do MPLA que querem desestabilizar Angola

António Sacuvaia

Published

on

As pretensões de vários artistas nacionais, que supostamente estão a ser financiados por um grupo de supostos “militantes do MPLA” para desestabilizar a Governação do actual Presidente da República com manifestações, levou João Lourenço, Presidente da República, a pronuciar-se no congresso da JMPLA que teve lugar hoje, no futungo de Bellas.

João Lourenço, que mostrou-se preocupado com a tal intenção, manifestou nesta quinta-feira em Luanda, a necessidade dos jovens se deixarem guiar de forma consciente por partidos políticos e entidades da sociedade civil que actuam nos marcos da lei e da democracia.

Para o líder do MPLA, a força de uma nação reside na força da sua juventude, daquilo que ela for capaz de fazer e realizar em prol da nação.

Segundo João Lourenço, os supostos activistas que estão por detrás da sabotagem da sua governação, estão a ser financiados por pessoas ligados ao Seu Partido, e acrescenta que muitos destes, são cidadãos que tornaram-se r ricos através de desvios de dinheiro do estado para fins pessoais e que na sua maioria encontram-se no estrangeiro.

” Não são estrangeiros que querem desestabilizar o nosso País, são angolanos, aparentemente do MPLA – e digo aparentemente porque não se comportam como tal – com o descaramento de falarem em nome do povo angolano. Como vêm agora falar em nome do povo angolano?
Eu levanto esta questão aqui porque são os jovens que estão a ser pagos para fazer esta campanha. Esses jovens são exemplares? Nós pensamos que não. E penso que estão a fazer esta campanha por 100 euros, nem isso, porque aqueles avarentos não lhe vão pagar muito mais”.
Disse, João Lourenço.

Advertisement

Colunistas

Ladislau Neves Francisco
Ladislau Neves Francisco (20)

Politólogo - Comunicólogo - Msc. Finanças

Olivio N'kilumbo
Olivio N'kilumbo (21)

Politólogo

Vasco da Gama
Vasco da Gama (74)

Jornalista

Walter Ferreira
Walter Ferreira (14)

Coordenador da Plataforma Juvenil para a Cidadania