Connect with us

Mundo

JMJ: Marcelo diz que encontro católico foi de “Grande sucesso para Portugal”

Published

on

O Presidente da República de Portugal, Marcelo Rebelo de Sousa, considerou neste domingo, que a Jornada Mundial da Juventude (JMJ 2023) que terminou hoje em Lisboa, foi “um sucesso para Portugal”, onde estiveram mais de 1,5 milhões de peregrinos católicos idos de vários países.

O chefe de Estado português confirmou que irá marcar presença na próxima, que decorre na Coreia do Sul em 2027.

Marcelo Rebelo de Sousa afirmou que a JMJ 2023 foi “um grande sucesso para Portugal lá fora”, realçando também a “grande projecção cá dentro”, com uma “mobilização muito grande de todo o país”.

“Hoje, o primeiro-ministro de Cabo Verde e a primeira-dama da Polónia diziam que tinha sido o melhor, e ela esteve em Cracóvia”, onde decorreu a Jornada Mundial da Juventude 2016, afirmou.

O chefe de Estado falava aos jornalistas no passeio marítimo de Algés, concelho de Oeiras e distrito de Lisboa, onde marcou presença no encontro do Papa Francisco com os voluntários da JMJ, antes de regressar ao Vaticano.

No seu balanço da JMJ, Marcelo Rebelo de Sousa incluiu o “sinal de esperança, a mensagem de esperança do Papa, de juventude, de futuro”, que considerou “espetacular, porque é aquilo que o país precisa, mas o mundo precisa, e a juventude tem direito a isso”.

Questionado se tenciona deslocar-se a Coreia do Sul para a próxima jornada, que acontecerá em 2027, quando já não será chefe de Estado, indicou: “Já está no meu calendário ir a Seul, obviamente, já lá vou. Não posso, portanto, voltar a desmaiar tão depressa.”

Sobre as críticas a organização e aos custos do evento, Marcelo salientou que “os portugueses foram excepcionais, todos”.

“Todo o país a acolher, a apoiar, a compreender as jornadas, para mim o símbolo é um comunicado da Juventude Comunista Portuguesa de apreço pelas jornadas [que] mostra que isto foi transversal à sociedade portuguesa”, afirmou.

O Presidente sustentou que, com a sua presença nesta última iniciativa do Papa em Portugal, quis agradecer aos voluntários pelo trabalho que fizeram, considerando que “foram excepcionais, e as forças de seguranças foram cruciais para o sucesso desta jornada”.

Marcelo afirmou também que o Papa mostrou “resistência física” durante esta viagem a Portugal.

“Nunca chegou ao fim do dia cansado. Começou às vezes ligeiramente cansado, e depois foi subindo, subindo, subindo, e terminou em grande forma e agora está outra vez em grande forma”, acrescentou.

Cerca 1,5 milhão de pessoas, segundo a Santa Sé, estiveram esta semana em Lisboa a participar da Jornada Mundial da Juventude, em Lisboa.