Connect with us

Economia

Ivanilson Machado é o novo Líder do Grupo Pumangol

Published

on

O angolano Ivanilson Machado foi na semana passada nomeado para o cargo de CEO do Grupo Pumangol, segundo informações apuradas pelo Correio da Kianda. O jovem profissional considerado pela revista Forbes África,como a 18.ª figura no top 100 dos líderes económicos de Àfrica com menos de 40 anos, substitui Patrício Chababo, tornando-se assim, no primeiro angolano a liderar o grupo que aposta na distribuição de produtos refinados.

Formado em Relações Internacionais e Ciências Políticas, e com várias outras formações em gestão e liderança, e uma história de sucesso de mais de dez anos no grupo, onde liderou empresas como TRANSFUEL e PUMANGOL INDUSTRIAL até ser transferido para liderar a Puma Energy em Moçambique,  Ivanilson Machado que conta agora com 41 anos, regressa em Angola e deve dar continuidade aos processos de expansão do conglomerado em que fazem parte empresas como a Pumangol, Angobetume e Transfuel.

Em 2016 lhe foi confiada a missão para ocupar o cargo de CEO do grupo em Moçambique onde revolucionou a marca que era desconhecida, tornando-a das mais conhecidas no segmento do armazenamento e distribuição de combustível em Moçambique, e concomitantemente no ranking das 100 maiores empresas de Moçambique, segundo a KPMG.

Coincidentemente, também em Moçambique a empresa passará a ser liderada agora por um Moçambicano, que encontra uma empresa bem madura e uma equipa de profissionais a altura dos desafios para poder dar continuidade aos projectos deixados pelo gestor angolano.

Numa fase difícil da economia nacional e com várias empresas no país a declararem falência, será a primeira vez que o Grupo Pumangol terá um quadro angolano como CEO, sendo que em 11 anos o grupo em Angola sempre teve sob a liderança de expatriados. Ivanilson, terá a complexa missão de dinamizar as empresas do grupo dando continuidade aos processos de expansão.

A Pumangol que iniciou a sua actividade em Angola em 2010 resulta de uma parceria entre a Puma Energy Internacional com base em Genebra, Suíça, e que actua em África, América Latina, Caraíbas, países Bálticos, Médio Oriente e Ásia, e a subsidiária Trafigura Group.