Connect with us

Justiça

Isabel dos Santos reage: “autoridades têm conhecimento da minha morada”

Published

on

A empresária angolana, Isabel dos Santos, já reagiu à notícia publicada na noite desta sexta-feira, 18, pelo Correio da Kianda, dando conta da preparação, pela PGR, de um mandado de captura internacional, afirmando que sempre se mostrou disponível e que “as autoridades têm conhecimento da sua morada”.

Foi através de um comunicado que a empresária reagiu à notícia, no qual nega que tenha sido proferida qualquer acusação e lembra que sempre esteve disponível para prestar “todos os esclarecimentos solicitados”.

Isabel dos Santos refere que “não se encontra em parte incerta, ao contrário do que é falsamente divulgado”, pelo facto de as autoridades.

 “Nos processos crime que correm termos em Portugal e em que é visada, Isabel dos Santos disponibilizou-se formalmente para prestar declarações. Não obstante, estranhamente, nunca foi notificada para tal efeito”, garante em comunicado.

Os advogados da empresária garantem não ter sido “proferida qualquer acusação” contra Isabel dos Santos e que, de acordo com a base de dados da Interpol, “não existe, até ao momento, qualquer referência à emissão de um mandado”.

De acordo com o documento, Isabel dos Santos está a ser procurada por suspeitas dos “crimes de peculato, fraude qualificada, participação ilegal em negócios, associação criminosa e tráfico de influência, lavagem de dinheiro”, o que, em caso de condenação pode atingir uma pena máxima de 12 anos de prisão.

No referido comunicado pode ler-se ainda de que a empresária Isabel dos Santos “não se encontra em parte incerta”, ao contrário do que foi inicialmente divulgado e acrescenta que as autoridades têm conhecimento da sua morada.

Segundo o documento, entre 2015 e 2017, a empresária, criou mecanismos financeiros “com intenção de obter ganhos financeiros ilícitos e branquear operações criminosas suspeitas”, através de “informação sobre dinheiros públicos do Estado angolano” que conseguiu na qualidade de administradora da petrolífera estatal Sonangol. Factos que a equipa de advogados de Isabel dos Santos disputa.

“Os factos relacionados com o período em que exerceu funções na Sonangol não foram confirmados judicialmente – pelo contrário”, acrescenta ainda o comunicado.

Lembrar que no mandado de captura, confirmado pela PGR, as autoridades judiciais angolanas pedem à INTERPOL para “localizar e prender com vista à extradição” da cidadã angolana Isabel dos Santos.

O nome de Isabel dos Santos, primogénita do antigo Presidente da República, José Eduardo dos Santos, é aparece referenciado em casos da justiça desde 2017, quando foi exonerada do cargo de Presidente do Conselho de Administração da Sonangol, para o qual havia sido nomeado por José Eduardo dos Santos, seu pai, naltura Presidente da República.

Nesta altura, vários círculos da vida política do país mostram-se contra, por constituir nepotismo, à luz da Constituição da República.

Logo após a sua exoneração, a PGR mandou uma notificação à residência da empresária, em Luanda, para comparecer à justiça e no mesmo dia Isabel dos Santos ausentou-se de Angola.

C/ Agências

Continue Reading
5 Comments

5 Comments

  1. Herculano da Costa

    19/11/2022 at 12:45 pm

    Deixem a Empresária em paz por favor. 🙏🙏 ela fez e faz q mtos dos Marimbondos nao fazem Ceder emprego pra mtos Angolanos..

  2. Bartó

    19/11/2022 at 1:45 pm

    Não acredito.Isto é tão somente uma guerra de informações para ludibriar os incautos.Essa é uma peça teatral de comédia.

  3. Domingos padre

    19/11/2022 at 6:37 pm

    Deixem a Isabel em paz e levem o país adiante sem mais problemas contra os seus filhos,precisamos de todos para uma contribuição significativa a esta Angola.Chega de Ódio todos nós por Angola somos poucos,esqueçam o passado e alavancam uma nova Angola que será melhor.

  4. Estevao nzuzi

    19/11/2022 at 7:22 pm

    eu sou eng.estevao sera e possiveis ver o que podemos fazer para sair neste etapa nos estamos ? vamos lutar superar e vamos em frente.

  5. Mendes Toco

    21/11/2022 at 12:40 am

    Isso é comédia kkkkkkk ladrão quer prender outro ladrão que país é este? Que se quer construir uma nação baseado- se em perseguições políticas e tudo mais. Vêem ao público e assumem o vosso fracasso a vossa incompetência de dirigir o país. Este país tem assuntos muito mais importante para se tratar ao invés de perseguirem uma cidadã que mesmo tendo ela não vai refletir nada na mesa dos Angolanos. Quantos dinheiro já recuperaram destes teatros e estes dinheiro e bens só se reflete nos bolsos de outros ladrões? Se já não sabem como dirigir o país dêem a outras pessoas que estão disponíveis e prontos para levar Angola avante

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *