Connect with us

Politica

Interpol confirma emissão de alerta vermelho para Isabel dos Santos

Published

on

A Interpol, agência policial internacional, confirmou que emitiu um alerta vermelho para Isabel dos Santos pedindo às autoridades policiais globais que a localizem e a prendam provisoriamente.

A informação, avançada na noite desta quarta-feira, 30, pelas principais agências de notícias internacionais, indica que um documento oficial relacionado com o pedido feito pela Procuradoria- Geral da República de Angola à Interpol, refere que a empresária frequenta, regularmente, Portugal, Grã-Bretanha e Emirados Árabes Unidos.

Isabel dos Santos enfrenta acusações de corrupção há anos, as quais nega, incluindo alegações, em 2020, de que ela e o marido, Sindika Dokolo, entretanto falecido, haviam direcionado USD 1 bilhão em fundos estatais para empresas nas quais detinham participações durante a presidência de José Eduardo dos Santos, inclusive da Sonangol.

Conforme o Correio da Kianda publicou anteriormente, Isabel dos Santos negou ter sido notificada pela Interpol até aquele momento.  Uma fonte próxima a dos Santos disse em 19 de novembro que ela ainda não havia sido notificada pela Interpol.

Entre as acusações contra a antiga “mulher mais rica de África” estão peculato, fraude, tráfico de influência e branqueamento de capitais.

Na terça-feira, 29, em declarações à CNN, Isabel dos Santos disse que os “tribunais angolanos não eram independentes” e os juízes eram “usados ​​para cumprir uma agenda política”. Também avançou o interesse em candidatar-se para as próxima seleições, em 2027.

“O Luanda Leaks tem a credibilidade do consórcio internacional de jornalistas”, rebate Ana Gomes

Formada em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo, a profissional actua no mercado de comunicação há 18 anos. Iniciou a sua carreira em 2004, apresentando um programa de rádio e logo migrou para a comunicação digital, para a impressa e, posteriormente, a institucional. Tem vasta experiência como web journalist, criação e gestão de redes sociais, tendo participado dos projectos de desenvolvimento de diversos sites, blogs e redes sociais governamentais, privados e do terceiro sector. Reside em Luanda desde 2012, tendo trabalhado como jornalista no portal de notícias Rede Angola, como assessora de imprensa e directora de Comunicação e Operações nas Agências NC - Núcleo de Comunicação e F.O.T.Y, atendendo diversos clientes governamentais e privados. Actualmente trabalha como editora do portal Correio da Kianda.