Connect with us

Economia

Inspecção chega ao sector petrolífero

Published

on

Pela primeira vez desde o início do consulado de João Lourenço, o combate à corrupção chega ao sector petrolífero, prevendo-se grandes mexidas para os próximos tempos.

Soube o Correio da Kianda que a Inspecção Geral da Administração do Estado (IGAE) trabalha, neste momento, na ANPG para realização de acções inspectivas em determinados processos e operações realizadas pelo Conselho de Administração dirigido pelo Eng. Paulino Jerónimo, este último dado como “carta fora do baralho” de João Lourenço para comando da entidade reguladora do sector petrolífero.

A fonte que temos vindo a citar avança que o titular do poder executivo aguarda pelo relatório a ser produzido pela Inspeção Geral da Administração do Estado (IGAE).

“Neste momento decorrem os trabalhos da IGAE”, disse a fonte desse jornal.

Entretanto, por razões prudenciais, “Paulino Jerónimo congelou a realização de algumas despesas”, informou a nossa fonte.

Estão também previstas mexidas na petrolífera nacional, Sonangol, onde o nome de José Patrício é apontado para assumir a liderança da empresa.

Tais alterações surgem na sequência do anúncio feito pelo ministro de Estado para a Coordenação Económica, José de Lima Massano, na abertura da Conferência Internacional sobre Oil & Gás, que decorreu em Luanda, no início do mês, sinalizando que a governação de João Lourenço está atenta ao sector.

Actualmente, o sector dos petróleo representa 95% dos produtos exportados e 30% do Produto Interno Bruto (PIB) angolano.

Continue Reading
1 Comment

1 Comment

  1. Alberto Sousa

    29/09/2023 at 7:16 pm

    Por favor inspecionem os combustíveis principalmente a gosolina pois constantemente tenho problemas no meu carro por causa da gasolina sempre que meto gasolina da problemas mesmo adicionando aditivo constantemente recorro a Comauto Mercedez e o problema é sempre combustível destruir esse motor são só 40 000 000 k imaginem em todos os carros a quantidade de peças que se tem de importar e riqueza que sai do país e e informe os custos bem como pensarmos que só trabalhamos para manutenção dos carros

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Colunistas