Connect with us

Mundo

Indonésia deporta 153 chineses envolvidos em fraudes amorosas ‘online’

Published

on

As autoridades indonesas deportaram para a China 153 cidadãos chineses envolvidos num esquema de fraude amorosa ‘online’ que rendeu 1,3 milhões de dólares, foi hoje anunciado.

“Eles fazem parte de uma rede que comete os crimes na Indonésia, mas que tem como alvo vítimas de origem chinesa”, disse Subki Miuldi, director do gabinete de imigração da cidade de Batam, de onde as deportações ocorreram na quarta-feira, de acordo com um comunicado.

Os deportados violaram o artigo 75.º da lei da imigração indonésia, referiu a mesma nota, sublinhando a importância da “cooperação com a comunidade na transmissão de informações”, para “manter a estabilidade e a segurança do país”.

As vítimas eram também cidadãos chineses, centenas, de acordo com a investigação, contactados e seduzidos por membros femininos da organização através de videochamadas, sendo depois extorquidos com as gravações sexualmente explícitas, noticiou o jornal de Hong Kong South China Morning Post.

De acordo com a investigação policial, a organização começou a operar este ano a partir da Indonésia, onde entrou com vistos de turista, depois de as autoridades de Pequim terem desmantelado a rede na China.

Em 2017, a Indonésia deteve e deportou 416 cidadãos chineses e taiwaneses que pertenciam a uma rede de fraude telefónica e de investimento ‘online’, e dois anos depois deteve e devolveu à China 85 cidadãos envolvidos num caso semelhante.