Connect with us

Economia

INACOQ encaixa mais de 170 milhões em um ano de actividade

Published

on

O Instituto Nacional de Controlo da Qualidade (INACOQ) arrecadou, durante um ano, um total de 174.736.486 kwanzas. A informação foi avançada pelo Director Geral da Instituição, José Alberto Sofia, na semana finda, quando apresenta os dados referentes a um ano de actividade.

Segundo o responsável, do mais de 1704 milhões de Kwanzas arrecadados, 104.841.891 foram empregues em despesas correntes da instituição, ao passo que os restantes 69. 894. 594,40 kwanzas, foram depositados na Conta Única do Tesouro.

Durante o período em referência, de acordo com os dados avançados pelo responsável, foi analisado um total de 4 312 amostras, 3 755 das quais foram analisadas e 636 não analisadas.

Na matriz de produtos analisados, o destaque vai para os produtos lácteos, farináceos, massas, grãos secos, cereais e similares, bem como óleos e similares, que não registaram níveis assinaláveis de adulteração, ao passo  as águas e produtos carneos foram os que mais apresentaram irregularidades passíveis de punição.

Entre as empresas que forneceram o maior número de amostras perfilam a  Angoalissar, com 464 amostras, Nutrypoupe, com 437, Atlas Group, 404, Alimenta, 283, Deskontåo, 270, e Foodtec, 223.

Ainda no período em referência, segundo os dados de José Sofia, foram realizadas 21 auditorias da qualidade, figurando, entre os órgãos solicitantes, a Direcção Nacional de Investigação (DNI), com 67 por cento, e a Autoridade Nacional de Inspecção Económica e Sanidade Alimentar (ANIESA), 23 por cento, com os restantes 10 por cento constituídos por auditorias de iniciativa das próprias empresas.

De Julho do ano transacto até a presente data, prosseguiu José Sofia, o INACOQ emitiu 21 relatórios e 18 pareceres de inconformidade, facto que atesta uma tendência crescente do cumprimento rigoroso dos padrões exigidos pelas autoridades sobre a qualidade dos bens de consumo pelos agentes económicos.

Nos últimos 12 meses, o INACOQ também prestou assistência a 97 empresas, 15 das quais no domínio da assistência laboratorial e técnica à conformidade normativa e 82 em outros domínios.

De acordo com José Sofia, o INACOQ tem contado com uma estreita colaboração com  vários parceiros institucionais na sua estratégia de acção, com destaque para as instituições inspectivas como a ANIESA e instituições judiciais como o Serviço de Investigação Criminal (SIC) e Procuradoria-Geral da República (PGR), bem como instituições académicas, Órgão de Comunicação Social e redes sociais.

A estratégia de acção do INACOQ tem como principais metas o reforço da capacidade institucional, o que passa pelas infra-estruturas, recursos humanos especializados, recursos materiais, capacitação dos agentes do Sistema Nacional da Qualidade, e reforço do intercâmbio com parceiros nacionais e internacionais, geminação e acreditação.

“A nossa função é de carácter meramente técnico e informativo, cabendo aos nossos parceiros actuar dentro da sua esfera de acção. Deste modo, contamos ainda com o apoio das informações de regulação normativa e legislativa, onde se encontram inseridos o Instituto Nacional de Infra-estruturas da Qualidade, afecto ao Ministério da Indústria e Comércio, a Direcção Nacional d Comércio Interno (DNCI) e a Direcção Nacional do Comércio Externo (DNCE)”, indicou.

Entre as infracções mais comuns registadas em estabelecimentos comerciais pela ANIESA, constam a emissão de facturas com indícios de falsificação, produtos com data de validade expirada, com as questões de higiene a predominarem em estabelecimentos como padarias e confecção de alimentos.

C/JA

Continue Reading
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Colunistas