Connect with us

Politica

IGAE recebe mais de 50 denúncias por dia de improbidade pública

Published

on

O Director do Departamento de Denúncias, Queixas e Reclamações da Inspecção Geral da Administração do Estado (IGAE) disse que a instituição tem recebido uma média de cinquenta denúncias por dia, sobre actos de improbidade pública. Frederico apontou os hospitais, escolas e administrações municipais como os principais sectores onde ocorrem estes fenómenos.

Entretanto, o responsável diz que “o número não satisfaz”, pelo que reitera o pedido à população para “continuar a elevar o nível de denúncias pelo contacto 119 (IGAE), é grátis, disponível 24 horas ao dia. Toda situação do mau atendimento dos funcionários públicos podem (devem) ligar e, vão ter o atendimento desejado”, disse Frederico Jambalima.

O prelector do tema “Procedimentos especiais da IGAE”, no primeiro encontro metodológico da IGAE, disse que procurou transmitir aos participantes os métodos e procedimentos processuais resultantes das queixas, denúncias e reclamações, que de forma geral, os cidadãos apresentam àquele órgão inspectivo do Estado.

Jambalima falou que o tema foi concorrido porque “é o assunto que constitui o objecto de acção da IGAE, para os inspectores esclarecerem as mais variadas denúncias que chegam aquela instituição”.

Disse, igualmente, à Rádio Correio da Kianda que o dia-a-dia tem sido bastante acalorado por considerar que “a população já tem uma consciência de denúncia mais alta, logo, é exigente quando há envolvimento de um funcionário publico”.

O evento, que teve início esta segunda-feira, decorre na Escola Nacional de Administração e Políticas Públicas (ENAPP) até amanhã, sob o lema IGAE – Mais Rigor, Transparência e Controlo. A abertura foi feita pelo Inspector-Geral da Administração do Estado, Ângelo da Veiga Tavares.

Jornalista multimédia com quase 15 anos de carreira, como repórter, locutor e editor, tratando matérias de índole socioeconómico, cultural e político é o único jornalista angolano eleito entre os 100 “Heróis da Informação” do mundo, pela organização Repórteres Sem Fronteira. Licenciado em Direito, na especialidade Jurídico-Forense, foi ainda editor-chefe e Director Geral da Rádio Despertar.