Connect with us

Sociedade

Huambo: Moradores abandonam casas nas centralidades

Published

on

Moradores das casas sociais, construídas no âmbito do Programa do Executivo de Fomento Habitacional “Minha Casa, Meu Sonho”, nos municípios do Ecunha e Londuimbali, no Huambo, estão a abandoná-las, por falta de serviços sociais básicos, como energia eléctrica, água, saneamento básico, vias de acesso e insegurança.

As casas abandonadas já estão a ser vandalizadas por indivíduos desconhecidos, que aproveitam o isolamento para roubar portas, janelas, vidros e outros materiais que ali se encontram.

Os moradores pedem ao Governo medidas urgentes, com vista à recuperação e valorização dos imóveis, que correm o risco de degradarem-se ou se tornarem refúgios de meliantes, que intensificaram, nos últimos dias, os assaltos e roubos nas referidas localidades.

Viriato Ernesto, funcionário público e um dos moradores das casas sociais do município do Ecunha, queixa-se da falta de escolas, serviços policiais, creches, serviços de saúde e das péssimas vias que dão acesso ao projecto.

Segundo Viriato Ernesto, no princípio deste ano lhes foi dito que os trabalhos de colocação da energia, água, serviços de saneamento bá-sico e outros inerentes à vida humana, além da reabilitação da estrada que dá acesso ao projecto habitacional, deviam começar no ano passado, “mas até hoje não há indícios de isso acontecer”.

A directora provincial do Urbanismo e Ambiente, Nadir Gomes, disse que as novas infra-estruturas sociais foram entregues há dois anos e o Governo não está de braços cruzados quanto à situação apresentada pelos moradores dos projectos habitacionais dos municípios do Ecunha e do Londuimbali.

“O Governo da Província está a envidar esforços para colocar à disposição dos jovens que aderiram aos projectos todos os serviços, para que deixem de abandonar as casas por falta de condições de habitabilidade”, garantiu a directora do Urbanismo e Ambiente, exortando a todos os cidadãos interessados em adquirir as residências a procurarem informar-se junto das administrações municipais.  

Os interessados devem fazer-se acompanhar de uma fotocópia do Bilhete de Identidade, declaração de serviço, atestado de residência e número de conta bancária.

No que toca ao programa de urbanização e construção de fogos habitacionais, pelo menos 200 casas sociais foram construídas e entregues à juventude, a nível dos onze municípios da província do Huambo.

Continue Reading
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *