Connect with us

País

Huambo: empreiteiros e governo divergem sobre falta de pagamento das obras do PIIM

Published

on

Os trabalhos para a conclusão das obras que estão a ser construídas na província do Huambo, no âmbito do Plano Integrado de Intervenção nos Município (PIIM), estão atrasadas. Os empreiteiros afirmaram à governadora que o atraso na conclusão deve-se à falta de pagamento, versão refutada pelo vice-governador, Elmano Francisco.

Foi durante a visita de constatação da governadora provincial do Huambo, Lotti Nolita, às obras do município da Ucuma, que os empreiteiros que estão a executar as obras de construção de infraestruturas sociais do PIIM afirmaram que o atraso na execução dos trabalhos, deve-se à falta de disponibilidade financeira, sendo por isso, considerado como a principal dificuldade para a conclusão das obras.

Na localidade, Lotti Nolika desenvolveu uma jornada laboral na sede municipal e nas comunas do Mundundu e Cacoma, onde constatou o estado de algumas infra-estruturas sociais que estão a ser executadas, no âmbito do Plano Integrado de Intervenção nos Municípios (PIIM) e do Programa Integrado de Desenvolvimento Local e Combate à Pobreza (PIDLCP).

Entretanto, o vice-governador provincial para os Serviços Técnicos e Infra-estruturas, Elmano Herculano Francisco, negou, nesta quinta-feira 5, as alegações expostas pelos empreiteiros sobre a falta de pagamentos, por parte do Governo, para a conclusão das obras ligadas ao Plano Integrado de Intervenção dos Municípios (PIIM).

“Não é verdade e não se pode assumir haver falta de pagamentos”, disse o governante, explicando que os desembolsos financeiros para a disponibilidade financeira no âmbito do PIIM têm regras próprias e que, para o caso concreto do município do Ucuma, precisam alguma correcção do ponto de vista da gestão das empreitadas, para além de outros factores.

Elmano Herculano Francisco acrescentou ainda, citado pela Angop, que de uma maneira geral não existe nenhum problema com a falta de dinheiro, pois o Governo provincial do Huambo tem estado a interagir com a Direcção Nacional de Investimentos Públicos, para que haja pagamentos pontuais.

O governante assegurou também que, até finais do Iº trimestre do corrente ano, uma série de infra-estruturas, sobretudo, ligadas ao sector da educação, serão concluídas e entregues para servirem aos alunos.

Esclareceu que, apesar das mesmas terem transitado para o presente ano, ainda assim se encontram dentro dos parâmetros da conclusão do PIIM na província do Huambo.

Fez saber que o PIIM no Huambo, implementado em 2019, pelo Governo angolano, tem cerca de 47 por cento de execução concluída, o que representa cerca de 120 projectos, enquanto os outros 130 estão em cursos.

Para além de infra-estruturas, continuou, tem se dado, igualmente, primazia à melhoria das vias de acesso, no sentido de facilitar a circulação de pessoas e bens, com realce para o escoamento de produtos.

Já o município do Ucuma tem inscrito 20 acções, das quais 15 de empreitadas e cinco de aquisições, sendo nove concluídos e 11 em curso, com uma carteira global de financiamento avaliada em 794.039.809, 24 Kwanzas. Destes, 650.139.699 já foram desembolsados.