Connect with us

Economia

Huambo: Caála ganha Plataforma Logística com foco na agricultura

Published

on

O município da Caála, na província do Huambo vai ganhar em breve, uma plataforma logística, a ser construída pelo ministério dos Transportes, em parceria com o reino dos Países Baixos.

Neste sábado, 9 de Dezembro de 2023, aconteceu o acto de lançamento da 1ª pedra para a construção da Plataforma Logística da Caála, sob tutela da Agência Reguladora de Carga e Certificação Logística de Angola – ARCCLA.

O lançamento da primeira pedra da nova PL assinala um marco importante do desenvolvimento da Rede Nacional de Plataformas Logísticas, estabelecida no Plano Director Nacional do Sector dos Transportes e Infra-estruturas Rodoviárias, e que visa apoiar a diversificação da economia nacional.

A construção das infra-estruturas da PL da Caála começa no próximo ano, estando o arranque de operações previsto para início de 2025. Com uma área de 65 hectares (numa primeira fase serão intervencionados 15 hectares), a PL da Caála contará com silos e armazém de frios e secos e prestará também serviços de contentores e depósitos vazios, assim como inspecções aduaneiras e fitossanitárias. No primeiro ano de funcionamento, deverá receber entre 250 mil e 300 mil toneladas de mercadorias, volume que, em dez anos, poderá ascender a perto de 500 mil toneladas.

O Ministro dos Transportes, Ricardo Viegas d’Abreu, refere que “o Governo de Angola tem como prioridade nacional acelerar a diversificação da economia, e neste sentido, o sector da logística desempenha um papel fundamental, pela capacidade de dinamizar as cadeias de fornecimento, estimular o aumento da produção nos sectores não petrolíferos, gerar empregos e aumentar o rendimento dos angolanos”.

Como tal, continuou, “a Plataforma Logistica da Caála surge para dar um contributo significativo, optimizando as cadeias logísticas, aumentando a competitividade da produção nacional e impulsionando o aumento da produção nos sectores da agricultura, indústria e recursos minerais, ao mesmo tempo que promove a criação de negócios adjacentes à plataforma logística e ao Corredor do Lobito, e catalisa as indústrias locais e a produção regional.”

A infra-estrutura localiza-se entre as Estradas Nacionais EN120 e EN260 e está estrategicamente localizada ao longo do reabilitado Corredor do Lobito. Um terminal ferroviário construído de raiz na Plataforma Logística da Caála, servirá de plataforma intermodal para a região e terá capacidade para servir comboios com até 50 vagões, em linha com as novas especificações do CdL.

A posição estratégica da Plataforma Logística da Caála no centro do país torna-a uma peça importante da visão do governo de substituir as matérias-primas importadas pela produção local, com vista ao consumo interno e externo. A ligação da PL aos mercados globais (através do Porto do Lobito) e aos países vizinhos, através do Corredor do Lobito, fará desta Plataforma Logística um eixo fundamental desta estratégia.

A agricultura será um dos grandes dinamizadores desta infra-estrutura logística. A Plataforma Logística da Caála está projectada para ser uma plataforma de armazenamento e distribuição centralizada no Huambo, uma das províncias com maior produção agrícola do país, principalmente de cereais, leguminosas e oleaginosas e produtos hortícolas. Jogará um papel importante também na exportação de frutas e no desenvolvimento do futuro cluster de abacate que está a ser criado na região em colaboração com importadores holandeses.

A Plataforma Logistica da Caála será também fundamental para apoiar o desenvolvimento do sector mineiro da região. No final de 2024, está previsto o início da operação da mina de terras raras de Longonjo, na província do Huambo, com reservas estimadas em cerca de 30 milhões de toneladas. Existe também potencial para novas instalações de mármore e granito com a abertura de novas minas na zona central do país. A exportação de minérios para o Reino Unido em contentores, via Porto do Lobito, e a importação de produtos químicos para o sector mineiro potencializarão a papel da Plataforma Logística da Caála nesta área.

Pela Plataforma Logística da Caála passarão ainda matérias-primas para a indústria com origem em Luanda e no Porto do Lobito, e com destino ao leste do país (Luena) e à República Democrática do Congo. Entre esta mercadoria, contam-se fertilizantes, cimento ou insumos de agro-processamento (materiais de embalagem, entre outros).

A referida plataforma faz parte de um conjunto de seis infra-estruturas estratégicas incluídas na primeira fase de implementação da Rede Nacional de Plataformas Logísticas, que prevê a instalação de 21 pontos logísticos similares em todo o país, até 2038.

O empreendimento na província do Huambo resulta de uma parceria entre o Governo de Angola, representado pela Agência Reguladora de Certificação de Carga e Logística de Angola (ARCCLA), e pelo Governo do Reino dos Países Baixos, através da sua Embaixada em Angola e do Consórcio Flying Swans. O projecto conta também com apoio técnico e contará a posterior com o financiamento do Banco Mundial.

Continue Reading
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *