Connect with us

Politica

Histórico: Presidente da República constata condições de trabalho na Rádio Ecclésia

Published

on

O Presidente da República, João Lourenço, realizou uma visita de cortesia às instalações da Rádio Ecclésia – Emissora Católica de Angola, na tarde desta quinta-feira, 04, no bairro do São Paulo, em Luanda, acompanhado de membros do seu Executivo e constatou as “difíceis condições de trabalho” naquele órgão de comunicação social afecto à Igreja Católica.

É a primeira vez que um Presidente da República visita às instalações da Rádio Ecclésia, que completa em Dezembro próximo, 70 anos de existência.

Na visita, o chefe de Estado percorreu os departamentos da rádio em visita guiada, tendo terminado na cabine de emissão onde deu uma curta entrevista em directo.

A deslocação de João Lourenço à emissora católica de Angola está enquadrada no leque de visitas que está a efectuar aos órgãos de comunicação social, públicos e privados sedeados em Luanda. Ontem, visitou, igualmente, as instalações da TV Zimbo e Girassol.

Já nas instalações da Rádio Ecclésia o Presidente da República foi acolhido por um conjunto de bispos da Conferência Episcopal de Angola e São Tomé (CEAST), liderados pelo seu presidente, Dom José Manuel Imbamba.

Depois de percorrer algumas áreas da emissora e da CEAST, que se encontram no mesmo edifício, no São Paulo, em Luanda, o chefe de Estado angolano concedeu uma entrevista àquela estação de rádio, durante a qual disse ter constatado as difíceis condições de trabalho e deixou uma nota de apreço aos funcionários da estação.

“[os trabalhadores da Rádio Ecclésia] trabalham dia e noite para manter os angolanos informados em condições muito difíceis. Portanto, eu tenho que reconhecer que fazem um grande esforço, um grande sacrifício, na medida em que pelo que estamos a constatar as condições não são as melhores”… disse na curta entrevista na cabine de emissão.

Informado sobre a generalidade dos órgãos de comunicação social privados que enfrentam dificuldades de trabalho, o chefe de Estado angolano, não descartou um eventual apoio do governo.

“Vamos, sem nenhum compromisso… portanto eu vi com os meus próprios olhos e naquilo que puder ajudar, com certeza que vamos fazê-lo”, referiu.

Sobre as dificuldades que os órgãos de comunicação social privados têm enfrentando no que o acesso às fontes diz respeito, principalmente nas actividades presidenciais, o PR mostrou-se aberto, tendo anuído ao convite para uma grande entrevista ao programa Discurso Directo da estação.

Por sua vez, o Presidente da CEAST, dom José Manuel Imbamba, exprimiu gratidão ao Presidente da República pela visita que efectuou à estação ligada à igreja católica.

“Como temos vindo a dizer, a Ecclésia pugna pela exaltação da dignidade da pessoa humana, da sã convivência entre os angolanos, e a nossa perspectiva evangelica da vida, por isso continuaremos a disseminar esses valores que nos ajudem a nos acolhermos como irmãos e a trabalharmos por uma Angola mais inclusiva, mais pacífica, mais virada para o futuro”, disse.

Questionado de uma eventual promessa do Presidente da República, aquando da pequena reunião, na sala da CEAST, dom José Manuel Imbamba respondeu:

“Praticamente não foram apresentadas preocupações, porque não tivemos uma sentada para termos um briefing, mas a pequena e curta entrevista que ele concedeu directamente aos microfones da Rádio Ecclésia, ele prometeu, pois, fazer o melhor de si, para que não só a Ecclésia, mas todas as rádios privadas possam ter alguma resposta da parte do governo angolano”, finalizou o prelado católico.

Lembrar que a Rádio Ecclésia, fundada em 1954, encerrou as suas emissões em 1978. Voltou a reabrir o seu sinal em 1997, desta vez, circunscrito apenas à capital do país, até que em 2018, no início do seu primeiro mandato presidencial, João Lourenço autorizou a sua emissão para todo o território nacional.