Connect with us

Economia

Guiné Equatorial e República Democrática do Congo desenvolverão instalações conjuntas de refinaria e armazenamento de petróleo

Published

on

Os dois produtores africanos de petróleo assinaram um crucial Memorando de Entendimento (MoU no acrónimo inglês) durante a cerimónia de abertura da Conferência e Exposição Angola Oil & Gas 2022.

O Ministério das Minas e Hidrocarbonetos da Guiné Equatorial e o Ministério dos Hidrocarbonetos da República Democrática do Congo assinaram um Memorando de Entendimento esta terça-feira, 29, na Conferência e Exposição Angola Oil & Gas (AOG) 2022, para desenvolver as sinergias existentes nos seus respectivos sectores upstream e de downstream, de infra-estruturas energéticas e logística.

Assinado pelo Ministro da Guiné Equatorial, Gabriel Mbaga Obiang Lima, e pelo seu homólogo congolês, Ministro Didier Budimbu Ntubuanga, o acordo assegura o estabelecimento de um grupo de trabalho para alcançar objectivos energéticos partilhados e a implementação de projectos específicos. Estes incluem o financiamento e a construção de uma refinaria de petróleo na República Democrática do Congo (RDC) — a ser propriedade partilhada pelos dois países — para satisfazer a procura regional de produtos petrolíferos refinados, juntamente com a construção de instalações de armazenamento de produtos refinados.

“A cooperação transfronteiriça é um dos princípios-chave da estratégia de desenvolvimento energético da Guiné Equatorial, uma vez que o nosso objectivo é aumentar a disponibilidade de energia acessível e a preços viáveis no nosso país e por toda a região,” observou, o Ministro Mbaga Obiang Lima. “Este memorando de entendimento (MoU), conjugado com acordos anteriores assinados com os Camarões e a Nigéria, apoia o nosso mandato nacional para fomentar a produção e o comércio de produtos petrolíferos africanos e criar indústrias de valor acrescentado.”

“O Congo está a avançar na sua posição como proeminente produtor africano de petróleo e estamos expectantes por renovar e consolidar a parceria com a nossa vizinha Guiné Equatorial, um dos principais produtores de petróleo e gás da região, de modo a promover inteiramente os nossos recursos de hidrocarbonetos, estimular a produção e trazer segurança energética ao país,” declarou,  o Ministro Budimbu Ntubuanga.

O Memorando de Entendimento pretende fomentar a transferência de conhecimentos e competências técnicas da Guiné Equatorial para a RDC, com a intenção de desenvolver os blocos de petróleo e gás do Congo, levar a cabo os próximos processos de alocação de blocos, envolver o sector local de petróleo e gás e aumentar a produção total. Em Agosto passado, a RDC lançou uma ronda de licenciamento de 30 blocos, compreendendo 3 blocos na bacia costeira da província do Congo Central, 11 perto do Lago Tanganyika, 9 na Cuvette Centrale, 4 blocos perto do Lago Albert, e 3 blocos de gás no Lago Kivu.

Além disso, a companhia petrolífera nacional da Guiné Equatorial, GEPetrol, ajudará a empresa petrolífera estatal da RDC, SONAHYDROC, no desenvolvimento do setor do gás natural do Congo, especificamente na promoção do Gás Natural Liquefeito e no armazenamento, distribuição e exportação de Gás Petrolífero Liquefeito.

Como principal evento energético de Angola, no seu primeiro dia o AOG 2022 (http://bit.ly/3UZLFUs) presenciou a assinatura de vários memorandos cruciais e continuará a unir as partes interessadas regionais e a mediar novos negócios até esta quinta-feira, 01.

Fonte: Energy Capital & Power

Colunistas