Connect with us

Mundo

Guerra Rússia-Ucrânia: acordo de exportação de grãos é prorrogado por 60 dias

Published

on

O acordo de exportação de grãos foi prorrogado por 60 dias com a condição de que todas as promessas de suspender as sanções sobre produtos agrícolas, dadas à Rússia por parceiros, sejam cumpridas, disse o vice-ministro das Relações Exteriores russo, Aleksandr Grushko.

“O nosso vice-ministro, Sergei Vershinin, ontem [13] declarou que, na realidade, o acordo foi prorrogado, ficou acordado que será prorrogado por 60 dias. O seu carácter de pacote foi reafirmado, com a condição de que todas as promessas feitas à Rússia, no que diz respeito exactamente ao documento de cumprimento, [ou seja] a suspensão de todas as sanções, directas e indirectas, e o fornecimento de produtos agrícolas da Federação da Rússia aos mercados internacionais globais, sejam cumpridas”, disse ele aos jornalistas. A Rússia vai conseguir remover todas as restrições para a exportação de produtos agrícolas para os mercados mundiais, acrescentou o vice-ministro das Relações Exteriores russo.

“Formalmente, as negociações sobre o acordo continuam […] gostaria de enfatizar mais uma vez que o principal para nós é o pleno cumprimento das promessas que foram feitas por todas as partes. Nesse sentido, nada muda para nós, vamos trabalhar duro e forçar nossos parceiros a cumprir as suas obrigações”, observou Grushko.

Anteriormente, Sergei Vershinin, vice-ministro das Relações Exteriores russo, disse após conversas com representantes da Organização das Nações Unidas (ONU) sobre o acordo de grãos em Genebra, que Moscou não é contra uma nova prorrogação do actual acordo, que encerra o seu segundo adiamento em 18 de Março, mas que tal seria “só por 60 dias”.

Segundo ele, o posicionamento futuro da Rússia será determinado dependendo do progresso real, não em palavras, mas em acções, na normalização de suas exportações agrícolas, incluindo pagamentos bancários, logística de transporte, seguros, descongelamento de actividades financeiras e fornecimento de amônia através do duto Tolyatti-Odessa. Uma fonte disse à Sputnik que “na ausência de uma situação de força maior, será estendido”, mas não especifica o tempo.

Também observou que as negociações “foram construtivas”, todas as objecções e comentários da Rússia foram levados em conta e o trabalho está em andamento, acrescentou a fonte. Ele também acrescentou que a Turquia e a ONU continuam os seus esforços para comercializar produtos russos no âmbito do acordo de grãos, continuando neste contexto os contatos com Moscou e a União Europeia.

O acordo de grãos foi assinado em 22 de Julho de 2022 por representantes da Rússia, Turquia, Ucrânia e Nações Unidas e pressupõe a exportação de grãos e fertilizantes ucranianos a partir de três portos no mar Negro, incluindo o de Odessa. O Centro Comum de Coordenação em Istambul é responsável pelo controlo do tráfego de navios.

O acordo de grãos faz parte de um pacote que inclui também a liberação das exportações russas de alimentos e fertilizantes, antes sancionadas.

Com agências internacionais 

Guterres em Kiev para renovação do acordo de exportação de cereais