Connect with us

Mundo

Guerra na Ucrânia: últimos ataques russos são “crimes de guerra”, diz Von der Leyen

Published

on

A presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, reagiu esta quinta-feira, à última grande onda de ataques com mísseis russos, que matou pelo menos seis pessoas durante a noite, considerando-os “crimes de guerra”.

Von der Leyen informa também que já conversou com o presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, a propósito dos ataques, condenando-os.

“O ataque deliberado da Rússia a civis e à rede de energia é um crime de guerra”, escreveu, numa publicação na rede social Twitter.

Von der Leyen informa também que já conversou com o presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, a propósito dos ataques, condenando-os.

Segundo a presidente da Comissão Europeia, esta nova investida “fortalece a nossa determinação comum de continuar a avançar nos esforços de ajudar a Ucrânia no seu caminho”.

Os ataques russos, os maiores das últimas semanas, mataram pelo menos seis pessoas esta quinta-feira e cortaram a eletricidade a parte da população e à central nuclear de Zaporíjia.

O presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, denunciou as “táticas miseráveis” russas, referindo-se aos bombardeamentos que atingiram nove regiões do país e a capital, Kiev, e atingiram a infraestrutura de energia.

De acordo com o exército ucraniano, a defesa antiaérea destruiu 34 dos 81 mísseis lançados por Moscovo e quatro drones explosivos de fabrico iraniano.