Connect with us

Mundo

Guerra na Ucrânia: Rússia detém suspeitos do ataque à ponte da Crimeia

Published

on

Oito pessoas foram detidas pelas autoridades russas, por suspeitas de terem estado envolvidas no ataque da semana passada à ponte que liga a Rússia à península da Crimeia (região da Ucrânia sob controlo russo desde 2014), e que motivou um conjunto de ataques russos contra a Ucrânia como vingança esta segunda feira.

A notícia foi veiculada na manhã desta quarta-feira, pela agência russa Tass, que cita um comunicado dos serviços de informações russos, FSB:

“O Serviço Federal de Segurança, em conjunto com o comité de investigação, determinou que o organizador do ataque terrorista contra a ponte da Crimeia foi a Direção Geral de Informações do Ministério da Defesa Ucraniano, o seu líder Kirill Budanov, os seus funcionários e agentes”, lê-se no comunicado.

Entre os detidos, constam cinco russos e três cidadãos da Ucrânia e da Arménia. No total, foram identificadas 12 pessoas alegadamente envolvidas no ataque à ponte.

De acordo com o comunicado do FSB, as agências russas estão a divulgar novos detalhes sobre o modo como o ataque à ponte terá sido levado a cabo pelas autoridades ucranianas. Segundo as agências, tudo terá começado em agosto deste ano, quando a carga explosiva foi enviada de Odessa para um porto búlgaro, de onde seguiu para um porto na Geórgia.Foi a partir da Geórgia que a carga explosiva entrou na Rússia, dentro de um camião, alegadamente com documentos de transporte falsos.

O camião explodiu no dia 8 de outubro quando passava sobre a ponte da Crimeia, no momento em que a ponte era também cruzada por um comboio com tanques de combustível.

Colunistas