Connect with us

Politica

Grupo gestor de fortunas da família dos Santos na mira dos EUA

Published

on

Os serviços de investigação dos Estados Unidos da América estão a acompanhar de perto os clientes estrangeiros da Helin International – grupo responsável pela gestão das empresas criadas secretamente nos Emirados Árabes Unidos em nome da família do ex-presidente José Eduardo dos Santos.

Estão também sob investigação os seus parceiros, prestadores de serviços, a saber, escritórios de advocacia, firmas de auditoria, cartórios e firmas de contabilidade.

Segundo a reportagem da Africa Intelligence, os investigadores norte-americanos estão especialmente interessados nos oligarcas russos e ucranianos que utilizaram os serviços da firma de gestão de fortunas.

Dentre esses, avança a investigação, surgem os nomes de Alexei Alexandrovich Korotaev e seu filho, o investidor russo-suíço Aleksei Korotaev. De acordo com a publicação, Korotaev se uniu à Helin International através de sua empresa sediada nas Ilhas Maurícias. Em 2016, fundou o Nchi Private and Investment Bank, sediado em Djibouti, que é suspeito de ter canalizado centenas de milhões de dólares. Vários serviços de inteligência na Europa e nos EUA, bem como um tribunal de Genebra, têm o seu fundador na mira.

Atrás do grupo Helin estava ainda o príncipe belga Henri de Croy e a ex-banqueadora britânica, Geraldine Whittaker, a quem o ex-presidente francês Nicolas Sarkozy conferiu uma Legião de Honra. Uma peça investigativa da revista semanal francesa L’Obs, em 2018, apelidada de “Dubai Papers”, revelou alguns desses arranjos financeiros. Isto levou a investigações na Suíça, Luxemburgo e França, onde quatro clientes receberam penas de prisão suspensas e milhões de euros em multas por “lavagem de dinheiro proveniente de fraude fiscal”.

O Ministério Público Financeiro Francês (PNF), que detém alguns dos arquivos da Helin, instruiu o Serviço Judicial de Investigação Financeira da França (SEJF) e o Escritório de Combate à Corrupção e às Infrações Financeiras e Fiscais da Polícia Judiciária (OCLCIFF) a conduzir as investigações em andamento. Eles questionaram vários ex-executivos da Helin International, e vários clientes franceses da empresa foram convocados a se reportar ao PNF, em 18 de Janeiro.

Conforme o Correio da Kianda publicou anteriormente na reportagem Revelada fortuna da família dos Santos no Dubai, as negociações entre as autoridades angolanas e do Dubai, remontam há mais de três anos, com à caça do património financeiro da Isabel dos Santos, bem como de colaboradores próximos do ex-presidente José Eduardo dos Santos, nomeadamente, general Kopelipa e Manuel Vicente.

Por outros lado, as autoridades angolanas, esperam do Dubai colaboração para extraditar Isabel dos Santos.

https://correiokianda.info/revelada-fortuna-da-familia-dos-santos-no-dubai/

Continue Reading
1 Comment

1 Comment

  1. Pilast

    08/02/2023 at 9:27 am

    Dubai nunca vais extraditar Isabel dos Santos. Eu não entendo porque que o governo de João lorenço esta sempre a perseguir a senhora! Qual é o indivíduo que faze parte do sistema do MPLA que não roubo e que não continua a roubar? Os mesmos indivíduos que fizeram parte do governo dos Santos são os mesmos que fazem parte do governo Lourenço.

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *