Connect with us

Economia

Grupo empresarial da Arábia saudita visita Angola para investir na ZEE

Published

on

Uma equipa de empresários da Arábia Saudita pretende investir no mercado angolano, no quadro das respostas aos desafios do executivo angolano para reforço do investimento Direito estrangeiro no país. A ASTRA faz deslocar à Angola o seu ´staff´, para visitar e constactar as oportunidades de negócio na Zona Económica Especial Luanda-Bengo, na terça-Feira 22. Antes, nesta segunda-feira, 21, está prevista, as 16 horas uma audiência na AIPEX.

Trata-se da multinacional saudita Arab Supply and Trading Company (ASTRA), que faz desloca à Luanda, o presidente do grupo empresarial, Ali Musa Al Jabra, para a visita de negócios para oficializar os interesses do grupo em investir em vários sectores da economia e responder aos desafios do Executivo angolano na atracção de Investimento Directo Estrangeiro (IDE).

O programa da visita, enviado ao Correio da Kianda, refere que as 16 horas desta segunda-feira, 21 o presidente da ASTRA, acompanhado do Embaixador de Angola naquele país asiático, Frederico Cardoso, será recebido em audiência pelo Presidente do Conselho de Administração da Agência de Investimento Privado e promoção das Exportações (AIPEX).

Já na terça-feira, 22 as 10 horas os responsáveis do grupo empresarial Saudita ASTRA visitam a Zona Económica Especial Luanda-Bengo (ZEE), para se inteirar das condições existentes naquele espaço para instalação de projectos de investimento em diversos sectores, nomeadamente na indústria, logística, comércio e serviços.

Sobre o grupo ASTRA

O grupo ASTRA tem a sua sede em Riyadh, Arábia Saudita, e situa-se entre as 100 maiores empresas do Reino, com investimentos em vários países do Médio Oriente, nomeadamente: Iraque, Jordânia, Qatar, Palestina, Emirados Árabes Unidos e Turquia; em África (Marrocos, Algéria e Egipto). O grupo emprega mais de 6000 trabalhadores nos diversos sectores de actuação nomeadamente: construção e mineração, educação, energia, serviços financeiros e investimento, processamento alimentar e agricultura, saúde e medicina, imobiliário e hospitalidade, comunicação social, plásticos, especialidades químicas, aço e telecomunicações.