Connect with us

TRANSPORTES

Greve na TAAG: Governo apoia reformas em curso na companhia de bandeira

Published

on

O Ministério dos Transportes reagiu à greve dos pilotos da transportadora nacional TAAG, iniciada nesta sexta-feira, com um comunicado enviado ao Correio da Kianda, em que garante que criou um grupo de trabalho que, logo a seguir ao início da greve, manteve reuniões de auscultação com o Conselho de Administração e com o sindicato do Pessoal Navegante Técnico (PNT) da empresa.

Nas referidas reuniões, avança ainda o documento, os trabalhadores se mostraram apreensivos e inseguros sobre a manutenção dos seus postos de trabalho e às promessas de melhoria das condições de trabalho no âmbito das reformas em curso na companhia.

“Ouvidas ambas as partes e transmitidos os devidos esclarecimentos, o Ministério dos Transportes orientou o Conselho de Administração da TAAG a prosseguir com as reformas necessárias para que as inconformidades internas e externas existentes sejam sanadas e a empresa venha a ser rentável a médio prazo”, lê-se no documento enviado ao Correio da Kianda.

Entretanto, o Mintrans eclarece ainda que fez questão de lembrar aos participantes da reunião que não fazem sentido as informações sobre oss alegados despedimentos colectivos “agora que a compania se está a reerguer” da crise, quando no período da pandemia não o fez.

“Ouvidas ambas as partes e transmitidos os devidos esclarecimentos, o Ministério dos Transportes orientou o Conselho de Administração da TAAG a prosseguir com as reformas necessárias para que as inconformidades internas e externas existentes sejam sanadas e a empresa venha a ser rentável a médio prazo”, encorajou.

No comunicado o departamento ministerial que superintende o sector dos transportes no país justifica que  as “reformas em curso já permitiram à TAAG iniciar o processo de aquisição de seis (6) novas aeronaves Airbus 220-300, sem recurso a qualquer garantia soberana do Estado”.

Entretanto, sublinha que “é sensivel às preocupações expressas pelos trabalhadores”, por isso “orientou expressamente que se mantenha o diálogo entre os seus representantes e o Conselho de Administração da TAAG, para que as suas preocupações sejam enquadradas na implementação do programa de reformas em curso”.

Outra orientação baixada e que consta do comunicado de imprensa é sobre a necessidade de as duas partes se concentrarem na busca com a “urgência que se impõe” para os “consensos que permitam dar resposta às preocupações dos trabalhadores no âmbito das limitações financeiras que a TAAG, S.A. enfrenta no presente”.

Diz ainda que os interesses dos passageiros da TAAG “são inegociáveis”, e por isso, reitera todo o seu apoio às medidas que visam garantir os serviços mínimos, sejam da iniciativa do Conselho de Administração, sejam do Sindicato do Pessoal Navegante Técnico.

Lembrar que a greve que teve início nesta sexta-feira, 7, foi convocada pelo Sindicato dos Pilotos das Linhas Aéreas da TAAG com a duração de dez dias.

Continue Reading
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Colunistas