Connect with us

Economia

Greve na Shoprite: funcionários paralisam trabalho por “maus tratos e despedimentos injustos”

Published

on

Acusam a direcção do grupo Shoprite Angola de não melhorar as condições de trabalho, de despedimentos injustos e de maus tratos. Por isso, decidiram partir para greve de protesto. 

Funcionários da Shoprite, em Luanda, decidiram paralisar as suas actividades esta quarta-feira, 18, portanto, a partir de hoje, para uma  greve de três dias, em protesto ao que dizem “ser injusto” por parte da direccão do supermercado em Angola.

Explicam ao Correio da Kianda, que há muito que se vem reivindicando pelo seguro de saúde e aumentos salariais, pedidos que, segundo os funcionários, nunca mereceram sequer atenção por parte dos que dirigem a rede de supermercados.

Descrevem ainda como uma das razões da greve, que hoje inicia, a violação da lei geral de trabalho e  acusam a direccão da Shoprite em Angola de abuso de poder contra os funcionários.

“Está tudo pronto para o arranque da greve. A concentração é na Shoprite do Palanca. Decidimos paralisar porque a direcção dos recursos humanos, de todas as queixas e reivindicações que temos apresentado, nenhuma delas têm merecido tratamento. Os despedimentos injustos, o abuso de poder e a violação da Lei Geral do Trabalho, são uma delas”, explicaram ao Correio da Kianda.